Reiki e cromoterapia ajudam recuperação de pacientes em hospital estadual

Técnicas são aplicadas em pessoas que passam por tratamento de hepatites, obesidade mórbida e ostomizados

Terapias alternativas como reiki e cromoterapia vêm sendo utilizadas pelo hospital estadual do Mandaqui, unidade da Secretaria de Estado da Saúde na zona norte da capital, para auxiliar na recuperação de pacientes em tratamento.

As técnicas são aplicadas por voluntários que já fizeram curso para essas especialidades.

Os pacientes em tratamento por hepatite, obesos mórbidos e ostomizados foram os primeiros a serem beneficiados por esse tipo de atendimento na unidade. Eles são encaminhados durante o tratamento pelos seus próprios médicos, que avaliam se estão em condições de receber o tratamento clínico e as terapias alternativas ao mesmo tempo.

“O nosso objetivo é que essas terapias alternativas sejam estendidas para todas as especialidades atendidas no Mandaqui, inclusive para os funcionários”, diz Edilma Gonçalves, presidente da Associação do Voluntariado do Conjunto Hospitalar do Mandaqui.

O tratamento baseado nas técnicas do reiki utiliza a manipulação da energia vital do ser humano, por meio da imposição das mãos, pela qual os pacientes recebem um tipo de massagem. O objetivo do tratamento é eliminar doenças e restabelecer a saúde física e emocional. A terapia é natural e não envolve qualquer tipo de influência religiosa.

Já o tratamento com a cromoterapia utiliza cores para estabelecer o equilíbrio e a harmonia do corpo, da mente e as emoções. De acordo com os especialistas, a cromoterapia auxilia no tratamento de doenças e ajuda a restaurar o equilíbrio físico e emocional dos pacientes. Na terapia, cada cor atua de maneiras diferentes em áreas específicas do corpo, trazendo benefícios à saúde do paciente.

Os tratamentos de reiki e cromoterapias são oferecidos de segunda a sexta-feira, das 9h às 14h, no Mandaqui. Os pacientes geralmente passam pelos tratamentos nos mesmos dias em que passam por consultas ou exames.

Publicado por Assessoria de Imprensa -SES-SP em 01/02/2013

<-Voltar