Rio de Janeiro – Serviços de Odontologia se multiplicam na rede da Secretaria de Estado de Saúde

Atendimento de pacientes especiais, ajuda no tratamento infantil de quimioterapia e foco em doentes graves internados em UTIs são algumas das áreas de atuação do serviço dentário da rede estadual de saúde

Nesta sexta-feira, 25/10, comemora-se o Dia do Dentista. Nos últimos anos, o atendimento na especialidade vem se expandindo pela rede da Secretaria de Estado de Saúde (SES) em projetos para públicos específicos como auxílio no tratamento de lesões provocadas por quimioterapia, atendimento de pacientes portadores de necessidades especiais, ajuda na recuperação de internados em UTI, são alguns dos exemplos. De forma inédita na rede estadual, o Hospital Estadual da Criança, inaugurado há seis meses, já oferece tratamento dentário a laser para os pequenos pacientes com câncer.

A coordenadora de odontologia do hospital, Melina Guedes Cavalcanti, explica que o tratamento a laser serve para prevenir e tratar lesões, especialmente a mucosite – inflamação na mucosa de revestimento do tubo digestivo – efeito mais comum e limitante no tratamento do câncer. De forma lúdica, a dentista consegue envolver as crianças e obter ótimos resultados. E fica satisfeita por poder ajudar na melhora desses pacientes.

– Várias crianças estão aqui para tratar um câncer ou para fazer um transplante. Optamos por usar a laserterapia, pois é eficiente para prevenir e tratar lesões. Nosso primeiro contato começa logo que o paciente chega ao hospital e explicamos a ele e a família que a boca é a porta de entrada do corpo e, por isso, a limpeza adequada dos dentes é importante para o pré e o pós-operatório, em caso de transplantes. Além da prevenção da mucosite – lesões na mucosa de revestimento do tubo digestivo – efeito mais comum e limitante no tratamento com a quimioterapia. Logo na primeira sessão, elas ficam animadas porque não sentem dor e tem a luz do laser, que é a sensação da garotada.  É muito gratificante ver que nosso trabalho ajuda na melhora deles – explica.

Foco nos pacientes graves – No Hospital Estadual Eduardo Rabello, em Campo Grande – unidade da rede referência para a terceira idade -, os pacientes internados na Unidade Intermediária (UI) começaram a receber atendimento odontológico diário oferecido por equipe de cinco dentistas que ficarão na unidade em regime de plantão, de segunda a sexta, realizando diagnósticos, busca ativa e tratamento de lesões, além de higienização bucal, importante na prevenção de doenças como a pneumonia nosocomial, comum nessas unidades. De acordo com o chefe da Odontologia do HEER, Frederico Pereira Coelho, o serviço foi implantado plenamente no mês de agosto.

– Seguimos um protocolo estabelecido pela SES. Identificamos e avaliamos as lesões já existentes desde os lábios até a região da orofaringe. Cuidamos de lesões como gengivite e dentes fraturados, além de realizarmos procedimentos como tratamento de limpeza, obturações e extrações. A presença de um profissional na unidade intensiva faz com que aumente a qualidade do tratamento do paciente, além de considerável melhora clínica, contribuindo para a diminuição do tempo de permanência desse paciente na UI – disse o dentista.

Mais de 2.000 pacientes satisfeitos – O trabalho na Unidade Intermediária do Hospital Estadual Eduardo Rabello vem complementar o atendimento ambulatorial que já é oferecido na unidade. Em 2012, mais de 22 mil procedimentos odontológicos foram realizados no ambulatório do hospital, beneficiando cerca de 5.000 pacientes. No primeiro semestre de 2013, já são 2295 pacientes atendidos e cerca de 11 mil procedimentos. Há ainda ações de promoção em saúde bucal nas enfermarias, ensinando técnicas de escovação para pacientes e acompanhantes, e palestras no Centro Dia mostrando a importância de se ter uma boa saúde bucal. Está prevista ainda para este semestre a criação de um laboratório de prótese na unidade, além de consultório. Pacientes do Centro Dia que tinham receio de sentar numa cadeira de dentista, com o laboratório, receberão um incentivo a mais para melhorar o sorriso.

Além do Hospital Estadual Eduardo Rabello, o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, oferece o serviço de odontologia hospitalar. A unidade tem uma equipe formada por 12 profissionais que trabalham diariamente fazendo revisão duas vezes por dia nos pacientes da UTI. Mais de 3.200 procedimentos foram realizados desde quando o serviço foi implementado, em março de 2013.

– Estamos capacitando equipes aos poucos para que, em breve, todas as unidades da rede estadual tenham odontologia hospitalar nas UTIs. Com os profissionais atuando diariamente, podemos proporcionar melhor qualidade do tratamento, auxiliando na melhora no quadro desses pacientes – disse a coordenadora do serviço de odontologia nas unidades próprias da SES, Viviane Albuquerque.

Novos rostos, novas vidas – O Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, tornou-se referência em cirurgia bucomaxilofacial no estado do Rio de Janeiro. Funcionando três dias da semana em centro cirúrgico e 24 horas na emergência do trauma, o serviço tem mantido uma boa média de cirurgias por mês, cerca de 18 eletivas e de emergência. Acostumados com casos de alta complexidade, a equipe de 15 profissionais se divide em atendimentos ambulatoriais, além das cirurgias, salvando vidas e dando novos rostos e melhoria na qualidade de vida de pacientes vítimas de acidentes diversos. De acordo com Viviane Albuquerque, o HEAPN, é um dos polos que a secretaria planeja concentrar todas as cirurgias bucomaxilofaciais. O outro polo ficará no Hospital Estadual Alberto Torres.

– Fizemos a capacitação desses profissionais para que eles também atuem no Alberto Torres. Inclusive, eles darão suporte ao novo Centro de Trauma, caso haja paciente necessitando de atendimento e cirurgia bucomaxilofacial. A ideia da criação desses polos é que todas as unidades de porta aberta tenham equipe para fazer os primeiros atendimentos, estabilizar os pacientes e encaminhá-los para uma das duas unidades – disse a coordenadora.

Sorriso para 7.000 pacientes especiais – O Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande, tem garantido tratamento odontológico para sorrisos muito especiais, por meio do projeto Sorriso Especial. O serviço teve início em 2000 e já atendeu 7.000 pacientes portadores de necessidades especiais, tendo realizado mais de 2.000 procedimentos. Um crescimento progressivo e que melhora a vida não só dos pacientes, mas também de suas famílias.

– Realizamos procedimentos entre restaurações, tratamentos periodontais e profiláticos, tratamentos endodônticos e extrações simples e complexas. Muitos pacientes são comprometidos neurologicamente, por isso procuramos fazer todo o tratamento em duas etapas, no máximo. Nosso maior desafio é criar uma estrutura capaz de absorver toda essa demanda reprimida pela falta de serviços especializados, oferecendo atendimentos de qualidade com maior rapidez, e estender nosso programa de treinamento e manutenção de saúde bucal para todos os pacientes. Aos poucos, estamos conseguindo – afirma o coordenador do projeto, Claudio Jorge Campos Fernandes.


Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
ascom.saude.govrj@gmail.com
(21) 2333-3717 / 2333-4029
Twitter: @SaudeGovRJ
www.saude.rj.gov.br

<-Voltar