Roraima – Casos de gripe diminuem quase 40% no estado

Em busca de reduzir o número de internações e complicações decorrentes das infecções pelos vírus respiratórios, o Núcleo de Controle da Influenza, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), alerta a população para a importância da prevenção e do controle da Síndrome Gripal (SG) e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Um comparativo entre janeiro a maio desse ano, com o ano de 2012, foi observado uma diminuição de quase 40% nos casos de síndrome gripal. No ano passado, contabilizou 9.381, contra 5.684 dos cinco meses de 2013. Os dados estão no SIVEP gripe, sistema do Ministério da Saúde.
Nos cinco meses de 2013, foram coletadas 207 amostras para detectar os tipos de vírus respiratórios que circulam em nosso estado nesse momento, que são: adenovírus (16), vírus respiratório sincicial (25) e influenza A H1N1 (01). As outras amostras aparecem negativas para vírus respiratórios. “São realizadas cinco coletas de amostras semanais, por unidade sentinela, de pacientes sintomáticos com Síndrome Gripal, correspondendo assim 25 coletas semanais e realizada coleta de material de todos os pacientes notificados como Síndrome Respiratória Aguda Grave nos hospitais de referência (HGR e HCSA)”, esclareceu Mônica Laís Soares, gerente do Núcleo de Controle da Influenza.

Os números são informados pelas cinco unidades sentinelas do Estado, sendo uma no município de Pacaraima (Unidade de Saúde Délio Tupinambá) e quatro no município de Boa Vista: Hospital Geral de Roraima, Hospital da Criança Santo Antônio (HCSA), Policlínica Cosme e Silva (PCS) e Casa de Saúde do Índio (Casai).

A gerente acredita que a redução nos casos de síndrome gripal está vinculada à modificação, este ano, do sistema de Vigilância da Influenza, causando assim a subnotificação das unidades sentinelas e dos municípios. “Os números de SG deste ano poderá aumentar ainda mais”. Ela ressaltou que a prevenção ainda é a melhor saída.

PREVENÇÃO

Entre as medidas de controle que devem ser seguidas estão: higienizar as mãos com água e sabão, inclusive após entrar em contato com objetos de uso coletivo; proteger com lenços (preferencialmente descartáveis) boca e nariz, ao tossir ou espirrar, para evitar disseminação do vírus; pessoas com síndrome gripal devem evitar aglomerações em ambiente fechado e contato com outras pessoas suscetíveis; gestantes e grupos de risco devem buscar o mais rápido possível o serviço de saúde, caso apresentem sintomas de síndrome gripal; pessoas com casos suspeitos ou confirmados devem ficar em repouso, ter uma alimentação balanceada e aumentar a ingestão de líquidos, além de evitar o compartilhamento de utensílios, como pratos, copos e talheres.

SINTOMAS

Os sintomas da SG são febre súbita, acompanhada de tosse, com início em até 7 dias e pode estar acompanhada com um dos seguintes sintomas: cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dor nos músculos) ou artralgia (dor nas articulações).

ANÁLISES

O Lacen/RR realiza pesquisa de sete vírus respiratórios no estado, que são: a influenza A e B, Parainfluenza I, II e III, Adenovírus e Vírus Sincicial Respiratório. O Laboratório recebe amostra para exame até nos finais de semana. Ou seja, não há justificativa de perder amostras.
Agora, quando é descoberta a ausência de vírus, o tratamento é feito normalmente.  Mas, quando é positiva a detecção, as amostras são enviadas para o laboratório do Instituto Evandro Chagas, referência na região Norte, para determinar qual vírus se trata.

Celton Ramos/Sesau
ASCOM SESAU
(95) 2121-0507
www.saude.rr.gov.br

<-Voltar