Roraima – Hospital Materno Infantil: Implantação da classificação de risco pretende otimizar atendimentos

A oficina que discute a implantação começa amanhã, 11, e segue até dia 14, no auditório da Eletrobrás

Novo protocolo pretende humanizar o acolhimento e otimizar os atendimentos do  Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth. Para isso, profissionais da unidade participam no período de 11 a 14 de fevereiro, da oficina de implantação do Acolhimento com Classificação de Risco das Gestantes e Recém-Nascidos. O encontro será em duas turmas de 40 pessoas, sendo a primeira nos dias 11 e 12, e a segunda, 13 e 14,  nos dois horários. O encontro ocorre no auditório da Eletrobrás, na Rua Cerejo Cruz, s/n, Centro.

A obstetra apoiadora do Ministério da Saúde (MS), Márcia Rovena Oliveira, que irá ministrar a oficina, afirma que a classificação de risco é essencial para que Rede Cegonha seja efetiva no estado. “Instituir a classificação de risco significa acordar uma das diretrizes da Rede Cegonha e trabalhar os protocolos assistenciais da instituição”, declara.

A médica explica que protocolos assistenciais consistem no tratamento específico diante das condições clinicas da paciente relacionadas à gravidez, ao parto e pós-parto, garantindo a qualidade na assistência. “Esta forma humanizada de tratamento e a boas práticas auxiliam a mulher a viver com tranquilidade este momento que é importante e delicado”, destaca.

A classificação de risco deve entrar em vigor no HMI no dia 17 de fevereiro. A intenção é priorizar os atendimentos emergenciais e orientar adequadamente as gestantes e seus acompanhantes sobre os critérios de prioridade para o atendimento. A metodologia classifica a ordem de atendimentos por meio de cinco cores: vermelho, laranja, amarela, verde ou azul. As cores indicam o estado de saúde do paciente e, com isso, a ordem de atendimento.

Ainda segundo a apoiadora, também serão tratados assuntos inerentes à atenção básica. “Não vamos falar somente do âmbito hospitalar mas também sobre a ações dentro da atenção básica e como será o direcionamento das pacientes com a implantação da classificação de risco”, complementa.

Além da equipe multiprofissional do HMI, a oficina também é destinada aos os profissionais das Equipes de Saúde de Família de Boa Vista, dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas do Leste e o Yanomami e representantes de saúde dos demais municípios do estado.

REDE CEGONHA

A Rede Cegonha (RC) foi instituída no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS, por meio da Portaria 1.459, de 24 de junho de 2011. Dentre seus objetivos estão a implantação de um novo modelo de atenção ao parto, ao nascimento, ao crescimento e ao desenvolvimento da criança de zero aos vinte e quatro meses e o da redução da mortalidade materna e infantil com ênfase no componente neonatal.

Aline Jimenez/Sesau
Fotos: Secom/France Telles

ASCOM SESAU
(95) 2121-0507
www.saude.rr.gov.br

<-Voltar