Roraima – NOVO PROTOCOLO: Adultos com HIV poderão antecipar tratamento

A medida pretende reduzir a transmissibilidade do HIV e a progressão da doença

Pessoas com HIV poderão iniciar o tratamento antirretroviral assim que receberem o diagnóstico. A medida vai propiciar que todos os adultos com o vírus da AIDS realizem antecipadamente os recursos terapêuticos previstos para a doença. A mudança faz parte do novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV, do Ministério da Saúde. Segundo o órgão ministerial, estudos demonstram que o uso precoce de antirretrovirais reduz em 96% a taxa de transmissão do vírus.

De acordo com a técnica do Núcleo de DST/HIV/AIDS, Neusa Nascimento, anteriormente, a indicação para início da terapia antirretroviral ocorria quando o paciente apresentava sintomas da Aids – como perda de peso, febre, diarreia e fadiga – ou quando o exame de contagem de linfócitos CD4 apresenta resultados alterados (abaixo de 500 células/mm3). “Com o tratamento proposto, o portador terá um sistema imunológico fortalecido e consequentemente uma melhor qualidade de vida” ressalta.

A técnica explica que o tratamento proposto também será positivo para a saúde pública, pois diminui a possibilidade de transmissão do vírus entre a população, fortalecendo o controle da Aids no estado. “Temos um alto índice em Roraima, e se o portador receber o tratamento imediato, a chance de minimizar o número de novos casos é maior”, destaca.
O novo protocolo também trouxe mudanças na estrutura do tratamento. O paciente receberá o antirretroviral na unidade de saúde que recebeu o diagnóstico. “O portador será acompanhado pela Equipe de Estratégia da Família, e mediante a solicitação do médico, será encaminhado ao SAE (Serviço Ambulatorial Especializado) que continuará sendo a referência no estado”, explana. Neusa ainda esclarece que a medida vai garantir que o paciente do interior receba o tratamento no seu município de origem. “Ele não precisará mais se deslocar até a capital, somente se houver complicações por conta da doença, nestes casos, ele será atendido no SAE”.

Para que este serviço seja implantado, sete médicos do SAE, Hospital Geral de Roraima (HGR), Hospital Coronel Mota (HCM) e Centro de Referência da Saúde da Mulher (CRSM) vão participar de uma capacitação em Brasília, entre os dias 19 e 20 de março. “Eles vão receber mais orientações sobre o tema e nós vamos iniciar as capacitações com os profissionais dos municípios”, reitera.

CAPACITAÇÃO

A primeira capacitação para a descentralização do tratamento de HIV/AIDS será com os farmacêuticos dos municípios do interior do estado entre os dias 25 e 27 de março. O evento será no laboratório do Datasus e contará com a presença de duas técnicas do MS. “Como se trata de um remédio controlado, os municípios deverão ser cadastrados no Sistema Nacional de Controle de Medicamentos, e os profissionais deverão estar aptos para ministrá-lo”, afirma Neusa. Em maio será a vez dos médicos do interior receberem as orientações. A expectativa é que o serviço esteja vigorando conforme o protocolo até o final do primeiro semestre.

Aline Jimenez/Sesau
Fotos: Ascom/Sesau
ASCOM SESAU (095) 2121 0507

<-Voltar