Roraima – Profissionais do interior são treinados para combater a desnutrição

Para combater a desnutrição em Roraima, equipe da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) fará treinamento de profissionais de saúde dos 15 municípios envolvidos nos programas e ações de alimentação e nutrição. Os cursos serão ministrados em algumas localidades do interior. Com isso, o Estado pretende atingir o maior número de servidores.

O primeiro treinamento será em Caracaraí. O evento está agendado para a próxima semana, nos dias 17 e 18 de julho. Os profissionais da rede de atenção básica de Caracaraí e Mucajaí participarão do encontro. A gerente do Núcleo de Ações Programáticas de Alimentação e Nutrição, Maria do Livramento Rêgo, a ideia é reunir, pelo menos, 60 pessoas.

Medidas antropométricas (peso, altura e idade), estudo de caso, curvas de crescimento da criança, utilização adequada do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN/Web), exibição de filme sobre os direitos a alimentação e saúde no SUS e o documentário “Muito além do peso” estão entre os temas e atividades que serão desenvolvidos nos dois dias de treinamento.

Na manhã do dia 19, haverá, ainda, palestra sobre o Programa Bolsa Família na Saúde. A ideia é tratar sobre o acompanhamento das famílias beneficiadas pelo programa, metas, perfil saúde, preenchimento do mapa de acompanhamento e das ações dirigidas a esse público. À tarde, o tema será Ação Brasil Carinhoso e Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A e o Programa Nacional de Suplementação de Ferro. Haverá também distribuição de material educativo.

O próximo treinamento será para os profissionais do Sul do Estado. A gerência vai definir a data. No entanto, sabe-se que o evento será em Rorainópolis e deve reunir trabalhadores da saúde dos municípios de São Luiz, São João da Baliza e Caroebe. A Sesau conta com o apoio das Secretarias de Estado do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes) e Municipal de Saúde de Caracaraí e Mucajaí.

DADOS

Em Roraima, foram registrados 883 casos de desnutrição aguda (crianças visivelmente magras) no ano passado. Os números podem ser bem maiores, pois a maior parte dos casos é referente aos dados de acompanhamento dos beneficiários do Programa Bolsa Família. Para combater casos de desnutrição, o Ministério da Saúde preconiza que as crianças tenham um acompanhamento mínimo de consultas durante os seis primeiros anos de vida.

Conforme o calendário mínimo de consultas, o recém-nascido terá de passar por acompanhamento para assistência, pelo menos, seis vezes até completar um ano de idade. No segundo ano de vida, as consultas ambulatoriais reduzem para duas e do terceiro até o sexto ano, a criança terá de ir a uma consulta por ano.

Rebeca Alencar/Sesau
ASCOM SESAU
(95) 2121-0507
www.saude.rr.gov.br

<-Voltar