Roraima – RR tem melhor índice de acompanhamento em saúde

As equipes de saúde da família dos municípios atenderam 36.505 beneficiários, o equivalente a 88,13%

Roraima fechou a primeira vigência de acompanhamento das famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, no quesito saúde. O estado lidera o ranking nacional com a maior percentagem de acompanhamento das famílias no quesito saúde. As equipes de saúde da família dos municípios atenderam 36.505 beneficiários, o equivalente a 88,13%. Tocantins ficou em segundo lugar com 82,74%, com 101.140 acompanhamentos e o Paraná em terceiro, com 80,55%, o equivalente a 308.071 atendimentos.

O acompanhamento das famílias tem de ser feito pelas equipes dos municípios duas vezes durante o ano, no primeiro e segundo semestres. Em Roraima, 41.420 famílias estão para acompanhamento. Distrito Federal, Amapá e Rio de Janeiro estão com os piores índices. O Distrito Federal é a localidade com o menor percentual, 34,64%. Nele, das 101.051 famílias cadastradas, apenas 25.998 foram acompanhadas. O Amapá e o Rio de Janeiro estão com 45,81% e 51,83, respectivamente.

As equipes de saúde dos municípios devem iniciar o acompanhamento das famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família a partir deste mês. Os municípios já estão com a lista de beneficiários para a segunda vigência de 2013.  Os gestores poderão verificar as informações no Sistema de Gestão do Programa este mês, em data ainda a ser divulgada. Para o segundo semestre, há 39.177 famílias beneficiadas pelo Bolsa Família em Roraima.

Para o Estado obter sucesso, a assessora técnica do Núcleo de Ações Programáticas de Alimentação e Nutrição, da Sesau, Leila Brolini, destaca que é importante que as famílias procurem às Unidades Básicas de Saúde (UBS) para atendimento. Mulheres de 14 a 44 anos e crianças menores de sete anos são categorias de acompanhamento obrigatório. Isso porque as equipes precisam verificar se há mulheres grávidas. Quando há, elas têm de analisar se estão fazendo o pré-natal. Com relação às crianças, é verificado se o documento de vacinação está em dias e, ainda, é avaliado o crescimento e desenvolvimento infantil.
Os dados são consolidados no fim de junho e no fim de dezembro, respectivamente. Há metas pactuadas de percentagem mínima de acompanhamento. Para que os municípios alcancem as metas, é importante que mulheres em idade fértil e famílias com crianças menores de sete anos, integrantes do Bolsa Família, procurarem às UBSs. Quem tiver em localidades distantes das unidades de saúde é atendido pelas equipes de Agentes Comunitários de Saúde (ACSs).

Um dos objetivos básicos do Bolsa é promover o acesso dos beneficiados à rede de serviços públicos, em especial a saúde, educação e assistência social. As ações de saúde do programa, que abrangem atenção às gestantes e crianças, são monitoradas pelo Núcleo de Ações Programáticas de Alimentação e Nutrição. Por isso, as equipes da atenção básica têm de acompanhar o crescimento e desenvolvimento das crianças, como peso, estatura e estado nutricional, vacinas e estado nutricional das gestantes.

Conforme Leila, a gerência avalia a frequência destes acompanhamentos, trabalhando para que os municípios tenham condições técnicas de realizá-los em termos de repasse de dados ao Ministério e também de esclarecimentos aos beneficiados.

 

Rebeca Alencar/Sesau
Foto: Jader Souza
ASCOM SESAU
(95) 2121-0507
www.saude.rr.gov.br

<-Voltar