Roraima – Secretário de Saúde Leocádio Vasconcelos se despede de servidores

Leocádio Vasconcelos reuniu servidores para oficializar sua saída da pasta

Com quase dois anos e meio à frente da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau/RR), Leocádio Vasconcelos reuniu no final da manhã de hoje, 17, coordenadores, diretores de unidades hospitalares e de departamentos para oficializar sua saída. No sábado ele pediu exoneração do cargo ao governador de Roraima, José de Anchieta, por motivos pessoais.

Descartou que tenham ocorrido fatos específicos que ensejassem a saída e que se tratava apenas uma decisão pessoal. Comentou que quando recebeu o convite de assumir, que era por pouco tempo. “Assumi em janeiro de 2011, para ficar por alguns meses, e já são dois anos e cinco meses. Entendo que minha contribuição foi dada”, disse.

Com 32 anos de trabalhos no serviço público, Vasconcelos foi secretário de finanças de todos os governadores de Roraima e da Prefeitura de Boa Vista. Também passou pelo Departamento Estadual de Trânsito e Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania. Para ele, que é tributarista de formação e profissão, passar pela área de saúde foi uma grande experiência. Afirmou que a vida é um eterno aprendizado e a saúde foi sem dúvidas, o maior deles, pois era uma Pasta que ele não esperava atuar.

Durante a conversa, o ex-secretário agradeceu a ajuda recebida dos secretários adjuntos, Alexandre Salomão e Miguel Ângelo D’Elia, ao longo da sua gestão. Conforme ele, a saúde é muito complexa e os adjuntos, como médicos, tiveram papel fundamental. Aos servidores presentes, agradeceu o apoio, destacando que muitas vezes pode ter sido incisivo com alguns nas cobranças, mas que era porque sempre esteve pautado na busca permanente de resultados. “Sempre coloquei o serviço público acima de qualquer coisa”, explicou.

Finalizou esclarecendo que o procedimento investigatório ou a representação do Ministério Público de Contas nada tinham a ver com sua decisão. “Como a representação era pedindo meu afastamento, na medida em que saio do cargo, ela perde o objeto. Mesmo assim, vou aguardar o julgamento do TCE (Tribunal de Contas do Estado), para que eu possa fazer minha defesa e assim mostrar que as acusações feitas a mim são levianas e inverídicas, e que não sou ladrão nem corrupto”, finalizou.

REBECA LOPES / ASCOM/SESAU
DATA: 17.06.2013

<-Voltar