Roraima – Sesau pretende ampliar ainda mais cobertura vacinal em RR

A reunião que acontece no próximo dia 23, no prédio do PNI (Programa Nacional de Imunização) visa traçar estratégias para ampliar ainda mais a cobertura vacinal para hepatite B no estado. O encontro reunirá, às 9h, os coordenadores de imunização e da Atenção Básica dos 15 municípios. As discussões serão conduzidas pelo Núcleo de Controle das Hepatites Virais, da Secretaria de Estado da Saúde de Roraima (Sesau).

É importante tomar a vacina contra hepatite B, por ser uma doença que pode evoluir silenciosamente para câncer no fígado e cirrose, durante um aproximado de 20 anos. As doses estão disponíveis em todos os postos de saúde.

Jaqueline Barros, gerente do Núcleo de Hepatites Virais, mencionou a importância da imunização e respeitar os períodos das três doses. Ao tomar a primeira dose, a pessoa tomará a segunda dose no trigésimo dia, após a dosagem da primeira. Já a terceira dose em seis meses depois da primeira dose. “Geralmente a pessoa esquece esse período de seis meses. É importante colocar aviso nos celulares para não haver esquecimento”, aconselhou.

O foco da reunião é deixar claro que o diagnóstico e tratamento precoce da doença devem acontecer de forma contínua, um trabalho de formiguinha feito pelos agentes comunitários de saúde. “São eles que visitam as famílias, além de verem os cartões de vacinas e responsáveis de orientar a atualização em dias”, comentou.

O aconselhável que a vacina seja tomada nas primeiras doze horas de vida da pessoa, para evitar a transmissão vertical e a evolução para uma doença crônica do vírus da hepatite B. “A maternidade (Hospital Materno-Infantil) dá a primeira dose, e as duas demais doses são responsabilidade da atenção básica”, enfatizou.

FORA DA FAIXA ETÁRIA

A ampliação de faixa etária para 49 anos, uma estratégia nacional do Ministério da saúde, não altera rotina em Roraima, uma vez que a vacina está disponível para qualquer faixa etária de idade. Basta procurar uma das salas de vacinas dos postos de saúde. “O Estado é considerado endêmico. Por isso, qualquer pessoa pode tomar a vacina contra a hepatite B”, completou.

DADOS

Roraima registrou 112 casos de hepatite B em 2011. Em 2012 saltou para 119. No semestre de 2013, 36 pessoas estão sendo investigadas, já que levam seis meses para encerrar as investigações. O vírus da hepatite B, geralmente, não apresenta sintomas. Por isso, a pessoa pode levar anos para descobrir a doença. Quando a portadora do vírus da hepatite B descobre a doença, o estado de saúde dela já é grave.

A hepatite B é uma doença sexualmente transmissível, mas há grandes chances de ser adquirida no grupo das manicures. O risco está no alicate e no palitinho de limpeza das unhas. Muitas vezes as manicures utilizam o mesmo alicate para atender várias clientes. Em contato com o sangue de uma pessoa infectada, o material pode ficar contaminado, já que o vírus sobrevive até sete dias nesses instrumentos de trabalho.

ASCOM SESAU
(95) 2121-0507
www.saude.rr.gov.br
Celton Ramos/Sesau

<-Voltar