Saúde de Goiás evolui na gestão dos hospitais

Modelo em parceria com OSS terá novos chamamentos a partir de maio. O objetivo é aperfeiçoar o modelo de gestão, que é referência em Goiás


sesgohO modelo de gestão da rede própria de hospitais em parceria com o terceiro setor,  iniciado em 2002 e reforçado a partir de 2012, tornou a assistência hospitalar pública  de Goiás, referência para o país.  As chamadas Organizações Sociais de Saúde , segundo o secretário Leonardo Vilela, pegaram os hospitais em situação de penúria e os transformaram em hospitais acreditados, de alta qualidade técnica e humana. Um total de oito OSS gerenciam 16 unidades de saúde, ao custo de 76 milhões de reais por mês e vem mostrando desempenho satisfatório.


“As organizações sociais atuais vem cumprindo as metas, alcançando excelentes indicadores de qualidade e aprovação dos usuários; contribuíram e muito com a qualidade elevada dos, que são públicos, e hoje oferecem uma assistência de primeira linha comparada aos melhores hospitais privados”, ressalta ele. O trabalho de monitoramento e controle também foi objeto da mesma preocupação que há com a assistência, tanto internamente na SES como em órgãos de controle como CGE, TCE e outros.


“A economicidade, o zelo com o bem público e com recursos públicos pauta a condução da SES, que não somente aperfeiçoa a cada dia seus processos de tomada de contas, como motivou a contratação de consultoria especializada que oferecesse uma qualidade ainda maior na gestão de custos e na transparência”, enfatiza o secretário. O objetivo era fazer mais com menos, propondo ajustes que já dão resultados, ao elevar a produção hospitalar com a mesma quantidade de recursos financeiros.

Transparência – A experiência da SES-GO acumulada nos últimos quatro anos bem como a evolução de novas leis, novos regramentos de controle, novos indicadores e parâmetros de gestão e controle de custos e metas, levou à decisão do governo de promover em 2017 novos chamamentos públicos assim que os atuais contratos com as OSS terminarem. Isso ocorrerá a partir de maio.


As atuais OSS poderão participar bem como outras organizações habilitadas conforme a legislação de Goiás. A realização de novos chamamentos públicos já estavam previstas desde os primeiros contratos e não são novidade para as próprias Organizações Sociais..


“O mecanismo do chamamento público não é para corrigir eventuais falhas das atuais organizações sociais; não está associado a nenhuma irregularidade comprovada. Até porquê se houvesse algum desvio de conduta atestado, o caminho é a penalidade, o ressarcimento do prejuízo, o rompimento do contrato e mesmo o impedimento da OSS de participar do novo certame. Vemos como um aprimoramento do modelo”, finaliza.

 

Comunicação Setorial da Secretaria da Saúde do Estado de Goiás

Mídias Sociais:

www.saude.go.gov.br

www.facebook.com/saudegoias

www.youtube.com/saudegoias

www.twitter.com/saudegoias

<-Voltar