Saúde realiza Mobilização Nacional de Prevenção e Testagem de Sífilis, HIV e Hepatites Virais

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ressaltou ontem (7), durante a videoconferência “Ações de Enfrentamento pela Redução da Mortalidade Materna / Rede Cegonha” com Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, que os estados têm até o dia 20 de novembro para enviar seus planos de ação das atividades que serão realizadas durante a Mobilização Nacional de Prevenção e Testagem de Sífilis, HIV e Hepatites Virais, que acontece em todo o Brasil de 22 de novembro a 1° de dezembro.

O objetivo da iniciativa é chamar a atenção para a importância do diagnóstico do HIV/aids, sífilis e hepatites virais. Durante os dez dias que antecedem o Dia Mundial de Luta contra a Aids (1° de dezembro), haverá uma grande mobilização com ações nas ruas para oferecer o teste rápido. Com apenas uma gota de sangue, o resultado sai em 30 minutos e a pessoa recebe aconselhamento antes e depois do exame. Até o momento dez estados já enviaram seus planos: Goiás, Rondônia, Piauí, Pará, São Paulo, Paraná, Ceará, Espírito Santo, Roraima e Maranhão.

O governo federal tem pressa em diagnosticar as cerca de 250 mil pessoas no país que vivem com HIV e não sabem disso. “O diagnóstico precoce seguido do acesso a medicamentos antirretrovirais e do acompanhamento clínico adequado são os grandes responsáveis pelo aumento da qualidade de vida dos portadores do HIV”, afirmou o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Dirceu Greco.

Atento a isso, o Ministério da Saúde tem investido na ampliação do acesso à testagem. De 2005, quando o teste rápido foi implementado no país, a 2011, houve aumento de 340% no número de testes ofertados (de 528 mil para 2,3 milhões). De janeiro a setembro deste ano, 2.127.790 unidades do exame já foram distribuídas. A expectativa é fechar 2012 com a remessa de cerca de 2,9 milhões, apenas para detecção do HIV.

Com a mesma confiabilidade do tradicional, o teste rápido é 100% nacional desde 2008, produzido pela Biomanguinhos/Fiocruz e pela Universidade Federal do Espírito Santo. Nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs), a entrega do resultado é sigilosa e se o resultado final der positivo, a pessoa em atendimento é encaminhada para tratamento nos serviços de referência.

O Fique Sabendo – ação de mobilização direcionada à ampliação do diagnóstico precoce de aids – atua em duas frentes: em Unidades Básicas de Saúde, CTAs e ambulatórios ou em locais como praças, feiras e eventos específicos. Além da realização de testes rápidos, distribui insumos para prevenção, como camisinhas, gel lubrificante e material informativo sobre HIV/aids, DSTs e hepatites virais.

Fonte: Aids

<-Voltar