Secretário de Estado da Saúde do Ceará fala sobre o encerramento do surto de sarampo no estado

O encerramento do surto de sarampo no estado do Ceará foi anunciado nesta quinta-feira (24), pelo ministro de Estado da Saúde, Arthur Chioro, juntamente com o governador do Ceará, Camilo Santana, com o secretário de Estado da Saúde, Henrique Jorge Javi e com o representante da Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS/OMS), Luís Codina. Eles também assinaram uma Nota Informativa sobre o encerramento do surto de sarampo no estado.

Desde 2013 o estado atravessava um surto da doença com 916 casos confirmados, mas sem a ocorrência de nenhum óbito, conforme fez questão de declarar o secretário estadual Henrique Jorge Javi em entrevista ao CONASS.

Segundo ele a ação interfederativa entre estados, municípios e a União e também com a Opas/OMS foi fundamental para que se alcançasse o objetivo de debelar  o surto da doença no estado. “Com essa parceria entre os entes houve uma ênfase em fazer com que as ações fossem de fatos efetivas. Percebemos então, que não bastava apenas disponibilizar vacinas e imunobiológicos e à partir daí nos aprofundamos em todo o processo de vigilância e em toda expertise da epidemiologia para programarmos as nossa ações”, ressaltou.

Maior desafio

“O maior desafio que percebemos em todo esse processo foi de que não é possível fazer prevenção e promoção de saúde sem o envolvimento da sociedade. “Nos últimos seis meses nós fomos fazer vacinação de casa em casa, em áreas de violência e com muita dificuldade dentro desse contexto, mas mesmo com propagandas em televisão, rádio e todo o apoio da imprensa, por incrível que pareça, o envolvimento das pessoas foi difícil”, disse.

Diante da situação Javi esclareceu que foi preciso também contar com o comprometimento dos profissionais de saúde que, diuturnamente, trabalharam no enfrentamento da doença com postos de vacinação funcionando sete dias da semana com horário estendido até às 22h, tudo para garantir a cobertura a todas as pessoas.

Lição

O secretário chamou a atenção ainda para o aprendizado adquirido com o caso. “A lição aprendida com isso tudo diz respeito à importância da imunização, que é a mais básica das ações de saúde e efetivamente uma ação que tem resultados efetivos. A volta do sarampo mostrou que nós podemos estar não percebendo o que tem acontecido do ponto de vista dessa ação tão básica para o processo de saúde”, alertou.

 

Assessoria de Comunicação do CONASS

(61) 3222-3000

ascom@conass.org.br

<-Voltar