Secretário destaca avanços no combate a doenças negligenciadas

O trabalho desenvolvido pelo Ministério da Saúde no combate às doenças negligenciadas e os avanços do Brasil na área de vigilância, foram o destaque da apresentação realizada pelo secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, na 65ª Assembleia Mundial de Saúde, em Genebra, na Suíça. Ele falou na conferência que faz parte de encontro paralelo realizado pela UNITAID, organização internacional que tem como objetivo aumentar o acesso da população aos medicamentos para HIV/aids, tuberculose e malária.

Durante a palestra, o secretário apresentou alguns dados sobre a incidência da tuberculose no país, destacando queda nas taxas de incidência e mortalidade da doença desde a década de 90. Jarbas Barbosa explicou que a eliminação e controle das doenças negligenciadas são tratadas como prioridade pelo Ministério da Saúde. “Quase 20% dos casos de tuberculose são atendidos nos programas sociais e de transferência de renda. A iniciativa contribuiu para a redução de 16% do número de casos e 23,4% de mortes relacionadas à doença nos últimos 10 anos”, observou.

O secretário enfatizou os esforços que o governo brasileiro vem adotando para a eliminação das doenças negligenciadas e o controle da tuberculose. Ele explicou que estas ações integram o programa Brasil Sem Miséria, iniciativa do Governo Federal para eliminar a pobreza extrema no país. “Acreditamos que esta integração promove uma oportunidade sinérgica de atingir os grupos mais pobres em nosso país”, afirmou.

O secretário aproveitou para comunicar que o Brasil está muito perto de alcançar a eliminação de duas doenças negligenciadas: a filariose, que tem na cidade de Recife (PE) a principal área de incidência, e a oncocercose, registrada entre a população Yanomami.

Por fim, Jarbas Barbosa disse que Brasil está ampliando os esforços nacionais em pesquisa e desenvolvimento de novos medicamentos, diagnósticos laboratoriais, vacinas e estratégias para enfrentar algumas doenças desafiadoras, como a leishmaniose visceral. “Como parte desse esforço, o país está comprometido em garantir a produção do benzonidazol para atender aos pacientes da doença de chagas na América Latina”, concluiu.

Fonte: Jorge Alexandre / Agência Saúde

Jarbas Barbosa ressaltou as iniciativas do governo brasileiro para controlar as doença | Foto: Ascom/MS

<-Voltar