Seminário debate ações voltadas para a primeira infância

O Ministério da Saúde promove nos dias 17 e 18 de outubro o Seminário Internacional de Políticas para o Desenvolvimento Integral na Primeira Infância, em Brasília. Especialistas em desenvolvimento infantil de todo o Brasil, além de Cuba, Holanda, Chile e Estados Unidos, representantes do Governo Federal, sociedade civil e pesquisadores de universidades estão presentes no evento para apoiar o ministério na formulação de um programa nacional que estimule o desenvolvimento integral, a alimentação e nutrição das crianças brasileiras de 0 a 6 anos, período denominado primeira infância.

Durante a abertura do evento, o secretário de Atenção à Saúde, Helvécio Magalhães, anunciou o Comitê de Especialistas e de Mobilização Social do Ministério da Saúde para o Desenvolvimento Integral da Primeira Infância, criado por meio de portaria assinada pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, nesta quarta-feira (17). Dentre os objetivos, está o de aprimorar, cada vez mais, as políticas públicas voltadas à saúde das crianças, como o Brasil Carinhoso e a Rede Cegonha.

Para garantir a integralidade dos diversos setores na composição do Comitê, o grupo será composto por representantes dos Ministérios da Saúde, Educação e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do legislativo federal, sociedade civil, universidades, organismos internacionais, conselhos, especialistas e profissionais de notório saber envolvidos com a temática. “Os esforços com o apoio intersetorial é fundamental para que possamos estabelecer ações de cuidado integral à primeira infância. A ação Brasil Carinhoso, por exemplo, continuará sendo articulada por meio de medidas que garantam o pleno desenvolvimento da criança, desde o seu nascimento até o desenvolvimento”, ressaltou Helvécio.

Para o secretário, o tema criança deve estar pautado em todas as equipes de Saúde da Família para aumentar a cobertura de saúde a todas as crianças, principalmente àquelas menos favorecidas financeiramente. Ele destacou, ainda, as ações já desenvolvidas pelo Brasil Carinhoso. “Por meio dele, já começamos a distribuição da vitamina A e sulfato ferroso. E com isso vamos conseguir reduzir os casos de anemia e a mortalidade na infância”, destacou.

Brasil Carinhoso – A ação Brasil Carinhoso tem como objetivo tirar da pobreza absoluta todas as famílias que tenham crianças com até seis anos de idade. Desde o seu lançamento, mais de 734 mil crianças menores de 5 anos receberam sulfato ferroso. Ao todo, foram distribuídas 2,2 milhões de doses, quantidade suficiente para 20% das crianças brasileiras que precisam do tratamento.

Com a suplementação, o Ministério da Saúde pretende reduzir os casos de anemia na primeira infância em 10% e a deficiência de Vitamina A em 5% ao ano. Segundo a Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS) – realizada em 2006 – a deficiência de ferro atinge 20,9% da população infantil brasileira entre zero e cinco anos e a carência de vitamina A atinge 17,4% desta população.

A alimentação pobre em ferro é o principal causador das anemias na infância e a sua maior incidência ocorre até os 18 meses de vida. A anemia prejudica o desenvolvimento cognitivo da criança e o atraso não pode ser revertido com tratamento. A carência de Vitamina A pode causar cegueira e reduzir a imunidade das crianças. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a suplementação adequada do nutriente reduz em 24% o risco de morte infantil e em 28% a mortalidade por diarreia.

Gabriella Viera/ Blog da Saúde

Foto: Guilherme Kardel

<-Voltar