Seminário internacional discutirá relações da saúde pública com imprensa

Como as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti são retratadas pela mídia e pelas assessorias de comunicação? Para debater o assunto, a Fiocruz Brasília promove entre os dias 12 e 14 de julho o I Seminário Internacional e V Seminário Nacional as Relações da Saúde Pública com a Imprensa: Aedes aegypti – vetor de epidemias anunciadas. 

O evento reunirá estudantes, pesquisadores, instituições responsáveis pela saúde pública no país, profissionais da saúde e nomes da imprensa nacional e local para tratar do panorama das arboviroses transmitidas pelo vetor, os desafios da imprensa e analisar a cobertura midiática sobre o tema no Brasil e no exterior.  


Faça sua inscrição

O seminário traz grandes nomes da ciência e da comunicação que participaram da descoberta e da cobertura da epidemia no Brasil. A pesquisadora da Fiocruz Pernambuco Celina Turchi,  responsável pela equipe que estabeleceu o vínculo entre o zika e a microcefalia, e o  pesquisador da Fiocruz Brasília e ex- diretor de vigilância das doenças transmissíveis do Ministério da Saúde na época da epidemia da zika, Claudio Maierovitch, vão trocar experiências com jornalistas como Paulo Henrique Lobato, do jornal Estado de Minas, que registrou a expansão da febre amarela por Minas Gerais; Rudolfo Lago, da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e Ângela Pimenta, do Observatório da Imprensa.

Claudia Collucci, especialista em saúde da Folha de São Paulo; Cinthya Leite, repórter do Jornal do Commercio (PE), que acompanhou o impacto do nascimento de bebês com microcefalia e as descobertas sobre o vírus zika; Leonardo Cavalcante, do Correio Braziliense; Adriane Cruz, do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde; Rita Vasconcelos, assessora de comunicação da Fiocruz Pernambuco; Márcia Turcatto, da assessoria de comunicação Secretaria de Vigilância em Saúde  do Ministério da Saúde; Janine Cardoso, do Icicit/ Fiocruz; Márcia Correia e Castro, do Canal Saúde/ Fiocruz; o pesquisador da Universidade São Caetano do Sul Arquimedes Pessoni;  coordenador de comunicação digital do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) Brasil, Nelson Leoni e o assessor de comunicação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Ulisses Bigaton são nomes confirmados. Esta é a quinta edição nacional do seminário, e sua primeira versão internacional, com a participação da diretora executiva da Fundação Mundo Sano, da Espanha, Irene Tato.

O evento é realizado pela Assessoria de Comunicação da Fiocruz Brasília e financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal. A programação pode ser acessada neste link.

As vagas são limitadas e haverá certificação dos participantes pela Escola Fiocruz de Governo. Outras informações: 61 3329- 4581

Histórico

Esta é a quinta edição do Seminário As relações da saúde pública com a imprensa. O primeiro, realizado em 2008, debateu o papel e a responsabilidade da mídia na apresentação das informações sobre febre amarela para a população. De lá para cá, já foram realizadas outras três edições, que enfocam a cobertura jornalística sobre determinado tema em saúde, a saber:  H1N1 (2010), a imagem do SUS na mídia (2013) e Comunicação em Situação de Risco: ebola, chikungunya, dengue e zika (2015).

Serviço:

Seminário Internacional As Relações da Saúde Pública com a Imprensa
Data: 12 a 14 de julho de 2017
Local: Fiocruz Brasília (L3 Norte, Campus Darcy Ribeiro, Universidade de Brasília)

<-Voltar