Série Especial Minientrevistas Política de Saúde Abrasco – Antônio Jorge Marques

Série Especial – Minientrevistas Política de Saúde

A Série Especial de minientrevistas com os participantes confirmados no 2º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, que acontece de 1º a 3 de outubro, em Belo Horizonte, já começou. Confira aqui todas as entrevistas.

ANTONIO JORGE MARQUES

Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, o médico Antônio Jorge atua desde 2007 na Secretaria, onde exerceu as funções de subsecretário de Políticas e Ações de Saúde e secretário-adjunto. Como secretário-adjunto esteve envolvido na formulação dos principais programas estruturadores da área, além de ter se empenhado para a consolidação do SUS em Minas.

Abrasco I Como vê o trabalho da Abrasco?

Marques I A Abrasco – Associação Brasileira de Saúde Coletiva está intrinsecamente ligada à história do Sistema Único de Saúde. Como instituição que tem como objetivo promover o apoio e articulação entre os centros de treinamento, ensino e pesquisa em Saúde Coletiva, vem ao longo dos seus 32 anos de existência contribuindo para o crescimento do SUS, fomentando a produção de conhecimento e o franco diálogo entre a academia e a gestão.

Abrasco I Na sua opinião, qual a importância em apoiar este Congresso?

Marques I Entre os vários eventos organizados pela Abrasco, temos a honra de contar este ano com a realização do 2º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, que ocorrerá em Belo Horizonte, entre os dias 1º e 3º de outubro. Este congresso está sendo apoiado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais e pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS/MG). Estas instituições compreendem que este evento é de grande valia e importância por trazer o debate da gestão do SUS para o centro das discussões. Recentes inovações legislativas, como o Decreto 7508/2011, a Lei Complementar 141/2012 e as Leis 12401/2011 e 12466/2011, demonstram claramente o quanto precisamos avançar no planejamento, na governança e na regionalização do sistema.

Abrasco I Quais os desafios do tema do Congresso?

Marques I Todos os avanços no modelo de atenção – que desde 2010 se tornou um padrão para o país através da implantação das redes de atenção – passam necessariamente pela prática de uma gestão compartilhada, em rede, adequada ao modelo institucional do SUS. Este desafio da gestão congrega esforços dos gestores no âmbito federal, nos Estados e Municípios. Discutir esta temática é essencial para ser o SUS que queremos.

<-Voltar