Serviço de Endoscopia do HGV realiza oficina sobre tratamento de varizes gástricas

A oficina foi ministrada pela médica Natália Freitas, especialista em Gastroenterologia

Médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem do Serviço de Endoscopia do Hospital Getúlio Vargas (HGV) participaram, na sexta-feira (19), de uma oficina sobre tratamento de varizes de fundo gástrico por meio da obliteração com injeção de adesivo tecidual, técnica conhecida como Escleroterapia. A oficina foi ministrada pela médica Natália Freitas, especialista em Gastroenterologia e Endoscopia do Hospital das Clínicas de São Paulo.

A médica explica que o tratamento consiste na injeção de uma cola biológica – geralmente, o cianoacrilato – na variz, através de uma agulha. Uma vez que essa substância é um polímero que se solidifica ao entrar em contato com o sangue, o cianoacrilato obstrui o sangramento das varizes. O procedimento dura, em média, de 20 a 30 minutos, incluindo a fase de preparo. Varizes gástricas são veias submucosas dilatadas no estômago, que provocam hemorragia gastrointestinal.

“O uso de adesivo tecidual é especialmente útil no tratamento das varizes de fundo gástrico, em que apresenta melhores resultados do que a ligadura elástica, ou em casos de cirrose avançada, em que há um distúrbio mais severo da coagulação e o risco de ressangramento das varizes é maior. Essa técnica é menos traumática, pois causa menos dor e desconforto ao paciente”, enfatiza Natália Freitas.

Segundo o diretor do HGV, Carlos Iglézias Brandão, essa foi a primeira vez que o Hospital realizou esse tipo de procedimento. “É mais um avanço dentro do processo de modernização do HGV: oferecendo novos serviços e intensificando a capacitação dos profissionais com o objetivo de melhorar cada vez mais o atendimento”, comentou.

Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi)
Assessoria de Comunicação
www.saude.pi.gov.br
(86) 3216-3610 / 8802-9604 / 8851-2074

<-Voltar