SES reduz focos do Aedes em 90% e supera meta do Ministério da Saúde

Com a força-tarefa “Goiás Contra o Aedes”, foi possível evitar o surgimento de aproximadamente 100 milhões de mosquito

SES_GOA megaoperação “Goiás contra o Aedes”, desencadeada pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) em dezembro do ano passado, superou a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde de reduzir em 1%, até abril, os índices de infestação do Aedes aegypti nos imóveis de todo o Estado. Este excelente resultado foi demonstrado pelo secretário Leonardo Vilela, durante entrevista coletiva concedida na manhã desta quinta-feira, 5 de maio.

Em sua apresentação, Vilela acrescentou que a força-tarefa conseguiu impedir o surgimento de aproximadamente 100 milhões de mosquito, com a eliminação de cerca de 100 mil criadouros. Os dados apontam ainda que em janeiro o índice de infestação em todo o território goiano era de 3,99%. Com o avanço da ação, tais índices decresceram para 2,11%, em fevereiro; 1,19%, em março;  chegando aos atuais 0,39%, em abril.

A força-tarefa “Goiás contra o Aedes” será desenvolvida até o final de junho. Leonardo Vilela adiantou, entretanto, que a equipe técnica da SES-GO já está estudando estratégias a serem desenvolvidas após este mês, no período seco, para que o número de criadouros permaneça baixo em todo o Estado. “Nossa meta é chegar ao período chuvoso com poucos ovos do Aedes a serem eclodidos e, desta forma, diminuir os casos de dengue, zika e chikungunya”, diz. A megaoperação é desenvolvida pela SES-GO, em parceria do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás e secretarias municipais de Saúde.

Os registros da Secretaria revelam, ainda, que o número de municípios que apresentavam índices superiores a 4% de infestação do Aedes caíram vertiginosamente. Tais índices indicam que o município é caracterizado como de alto risco para o surgimento das doenças causadas pelo mosquito. Em janeiro, 106 dos 246 municípios goianos tinham mais de 4% de infestação. Em fevereiro, a quantidade reduziu para 16 e em março, para 7. Em abril, conforme ressaltou Leonardo Vilela, nenhum município do Estado é considerado como de alto risco. 

O “Goiás contra o Aedes” também obteve êxitos na redução do porcentual dos imóveis fechados. Os registros da SES-GO revelam que, em janeiro, 31% dos imóveis estavam fechados. Em abril, este índice decresceu para 19%. Tal fato, acentua Leonardo Vilela, é muito significativo porque o imóvel fechado é aquele desprovido de morador, em que não há manutenção e limpeza, nos quais os focos podem se proliferar. O quantitativo de imóveis recuperados – que estavam fechados e foram abertos para a realização das inspeções – saltou de 5 mil, em janeiro, para 32 mil, em abril. 

Diminuição dos casos de dengue nos dois últimos meses

Na prática, segundo o secretário, a ação Goiás contra o Aedes reduziu em 90% o número de domicílios com criadouros. Ele destacou, ainda, que a força-tarefa também tem o mérito de informar e conscientizar a população sobre a necessidade de desenvolver tarefas em casa para a eliminação dos focos.

A queda nos índices de infestação do Aedes reflete diretamente na redução do número de casos de dengue nas últimas semanas em Goiás. É o que aponta o Boletim de Dengue da SES-GO, relativo à semana epidemiológica 17 deste ano (3 de janeiro a 30 de abril de 2016). De acordo com o documento, nos últimos dois meses o Estado saiu de 10.311 notificações na semana 8 (até 27 de fevereiro), para 2.126 casos nesse último boletim. Em relação aos óbitos, houve 5 até o momento.

Mesmo com a diminuição nas últimas semanas, houve um acréscimo de casos durante todo o ano quando comparado com 2015. Até o momento, foram notificados, em todo o Estado, 114.726 casos da doença, enquanto que no ano passado foram 110.556 casos no período.

Comunicação Setorial da SES
Goiânia, 5 de maio de 2016

<-Voltar