SES-RJ adota novo protocolo Acolhimento com Classificação de Risco Quatro unidades já estão prontas para tal norma

O Hospital Geral Getúlio Vargas, a UPA Penha, a UPA Fonseca e a UPA Mesquista são as primeiras unidades da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ) a implementar o novo protocolo Acolhimento com Classificação de Risco (ACCR), a partir da próxima segunda-feira, 13 de janeiro.

O assessor técnico de Humanização da SES-RJ, Rafael Fornerolli, explica que a norma, baseada no protocolo de Manchester, segue o critério de classificação de risco por meio de um sistema de cores. “São cinco níveis, que variam do vermelho, o mais grave, ao azul, de menor gravidade. A classificação indica o tempo máximo de espera para atendimento em cada caso e, assim, vai contribuir com a organização das portas de entrada no sistema de saúde, garantindo equidade para a população fluminense”, informa Fornerolli.

De acordo com o novo protocolo, pacientes identificados com a cor vermelha devem ser atendidos imediatamente. Os que receberem a cor laranja, em até 10 minutos; a amarela, em até 60 minutos; e a verde em até duas horas. Os que receberem a classificação azul serão encaminhados para a Atenção Básica.

Para garantir a implentação do protocolo ACCR em todo o estado do Rio de Janeiro, a Assessoria Técnica de Humanização da Subsecretaria de Gestão da Atenção Integral à Saúde da SES-RJ vem promovendo treinamentos com profissionais de saúde. O último ocorreu dia 8 de janeiro e, no início de fevereiro, mais 120 médicos e enfermeiros de 29 UPAs e cinco hospitais de emergência receberão a capacitação.

 

<-Voltar