Sesa realiza Seminário Estadual da Atenção Primária à Saúde e Coordenação de Redes

Foto: Pedro Dutra/Secom-ES

Nesta segunda-feira (26), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) realizou o Seminário Estadual da Atenção Primária à Saúde e Coordenação de Redes e os Hospitais na Rede de Atenção à Saúde. O evento aconteceu no auditório do Sebrae, em Vitória. Cerca de 200 profissionais e gestores da saúde que atuam no Espírito Santo nas redes públicas, filantrópicas e particulares participaram do encontro.

O evento contou com a presença do governador em exercício, César Colnago; do secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira; da subsecretária de Estado da Saúde, Joanna De Jaegher; prefeitos, secretários municipais de Saúde, entre outras autoridades estaduais e municipais. As palestras foram ministradas pelo consultor do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Eugênio Vilaça.

O  governador do Estado em exercício, César Colnago, destacou que nas 13 vezes em que assumiu o governo aconteceram ações importantes na Saúde, na implantação desse novo processo de atendimento.  “A Rede Cuidar não é um programa de governo, é uma política para organizar o Estado, dando sequência a tudo o que já foi sonhado.  A gente não investe pouco em saúde. A gente investe e podemos investir mais, e temos investido proporcionalmente muito, em relação ao País”. 

O governador em exercício parabenizou a equipe técnica e os gestores pela realização do trabalho de implantação da Rede Cuidar. “Esse corpo técnico, juntamente com a direção, conseguiu construir um documento que está mudando o atendimento na área da Saúde. A Rede Cuidar se desponta muito, principalmente nessa articulação com a rede básica. É preciso ter essa articulação e trabalhar com muito humanismo, tecnicamente preparado e atuando em equipe”, destacou Colnago.

O objetivo do seminário foi apresentar a importância, os resultados e os desafios da nova organização da assistência à Saúde no Espírito Santo, considerando a mudança para o novo modelo de atenção das condições crônicas e agudas, organização dos serviços em rede desde a Atenção Primária à Saúde (APS), passando pela Atenção Ambulatorial Especializada (AAE) até a atenção hospitalar, a Rede Cuidar. Também foram apresentados a mudança do processo de gestão para a gestão da clínica, com a aplicação de protocolos, linhas-guia e outros instrumentos capazes de organizar as redes e qualificar a assistência, trazendo eficiência e eficácia nas ações de saúde.

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, destacou que este encontro foi o momento final, de fechamento, de um trabalho que começou em 2015, com um projeto de planejamento regional, frisando que não é possível encontrar uma solução município por município e, por isso, foi iniciada uma discussão regional, estabelecendo as prioridades e buscando as soluções para a região.

Oliveira disse ainda que assistiu a uma palestra do consultor do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Eugênio Vilaça, em 2016 em Brasília, sobre o atendimento em rede, e o convidou para apresentar o projeto no Espírito Santo. “Este não é um projeto que inventamos. É um projeto que já estava formulado há muito tempo, sendo implementado em algumas cidades pelo Brasil afora, e trouxemos essa ideia para o Espírito Santo, sem inventar moda. Essa ideia foi se consolidando e se transformando no que vemos hoje”, destacou.

O secretário disse ainda que a Rede Cuidar não é um projeto de um governo, mas de todos, por meio de um convencimento de que daria certo. “Quero ressaltar que todos contribuíram para esse projeto, ninguém impôs. Esse foi um projeto de convencimento. A equipe inteira da unidade básica de saúde, desde o porteiro até o médico, participou. E o segredo desse sucesso é isso. Todo mundo que está ali entende o funcionamento desse processo. É uma responsabilidade que todos temos de ter, de colocarmos o foco da política nos interesses do cidadão. Se a gente fizer isso, e é o que queremos fazer, o resultado é esse que vimos aqui”, disse.

Segundo a subsecretária de Estado da Saúde, Joanna De Jaegher, organizar uma rede de atendimentos não é fácil, e é preciso estabelecer os processos para isso. “Quando achamos que estamos terminando, estamos apenas começando. Assim é a Saúde. Essa é a nossa jornada, e precisamos estar presentes, extremamente motivados, extremamente mobilizados, porque a todo instante somos convocados a essa presença importante na organização dos processos de trabalho na saúde.”

Joanna ressaltou que não adianta discutir sobre a Rede Cuidar se o atendimento permanece sendo regulado de forma fragmentada. “É preciso regular essa rede de atenção à saúde. Só que isso é complexo. Isso necessita de um grande trabalho, de uma grande mudança de paradigma. Não é apenas executar o que chamamos de regulação do acesso.”

O prefeito de Marilândia, Geder Camata, disse que o encontro consolidou um período de conquistas e de entrega para a Saúde pública do Espírito Santo. “Tudo isso é fruto de muito esforço e muito trabalho de cada um aqui, e não teria importância nem essa eficiência se nós, gestores públicos, não acreditássemos nisso. E a gente percebe que não é mais dinheiro, não é mais recursos para a Saúde. É preciso organização, e esse é o plano. Nós acreditamos nesse plano, nesse trabalho sério que o Governo (do Estado) tem feito através da Sesa, por isso estamos aqui. E nos cabe abraçar, acreditar, fortalecer e dar apoio para que de fato isso aconteça em nosso município.”

Também esteve presente a secretária Municipal de Saúde de Marilândia, Vanessa Leocárdio, que comentou que a planificação veio para reformular a atenção primária. “A planificação foi um momento muito importante para nós secretários, porque veio para reformular a nossa atenção primária, que há muito tempo vinha sendo um modelo não padronizado. Como secretária, digo que caiu para nós em um momento muito importante porque podemos reestruturar nossas unidades no atendimento, e isso é muito importante”.

O consultor do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Eugênio Vilaça, ministrou palestra sobre a Atenção Primária à Saúde (APS) e Coordenação das Redes de Atenção à Saúde, onde explicou que o modelo de atendimento Saúde da Família surgiu na Inglaterra, em 1948, com a implantação do Serviço Nacional de Saúde (National Health Service), que pode ser comparado, aqui no Brasil, ao Sistema Único de Saúde (SUS).

“Esse modelo se espalhou pelo mundo inteiro, especialmente na Europa, e nós fomos copiar boa parte desses países, mas aqui já começamos de uma forma diferente, com uma equipe multidisciplinar. Agora, acredito que a mudança acontece com a Rede Cuidar, que está justamente melhorando a atenção primária junto à atenção ambulatorial especializada. Agora, o próximo passo é introduzir o hospital na rede, e este é o grande desafio”, frisou.

Outro ponto importante, segundo Vilaça, é a estratificação da atenção primária, que permite que cerca de 85% das pessoas possam ficar na atenção primária, e os outros 15% busquem uma especialidade.

“A unidade Cuidar não pode ser só de assistência. A parte principal dela é preparar a equipe da atenção primária para estratificar e manejar os riscos. Isso faz-se sob a reforma de atividades de atenção permanente. Com isso, o sistema vai se tornar sustentável”, destacou.

Saiba mais

– O Espírito Santo possui 1.007 Unidades Básicas de Saúde (UBS) cadastradas no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES), espalhadas pelos 78 municípios capixabas.

Rede Cuidar

A Rede Cuidar é o novo modelo de atendimento integral à saúde que visa melhorar a qualidade de vida das pessoas, formando uma rede que está reorganizando o atendimento no sistema de Saúde pública do Espírito Santo, desde a porta de entrada na Unidade de Saúde do município, passando pelas consultas e exames especializados, até a rede hospitalar.

A primeira unidade, em Nova Venécia, na Região Norte, está em funcionamento desde setembro de 2017. A unidade de Santa Teresa foi a segunda a ser entregue pelo Governo do Estado, em abril deste ano. A terceira unidade da Rede Cuidar, que também já está em funcionamento, fica em Guaçuí, e foi inaugurada em agosto deste ano. Até o momento, já foram realizados 88.561 consultas e exames e 39.452 pacientes atendidos.

Ao todo, a população de 36 municípios já está sendo beneficiada com as unidades.

– Rede Cuidar em Nova Venécia (Região Norte): Água Doce do Norte, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Conceição da Barra, Ecoporanga, Jaguaré, Montanha, Mucurici, Nova Venécia, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, São Mateus e Vila Pavão.

– Rede Cuidar em Santa Teresa (Região Metropolitana): Santa Teresa, Fundão, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Itaguaçu, Itarana, Laranja da Terra e São Roque do Canaã.

– Rede Cuidar em Guaçuí (Região Sul): Guaçuí, Irupi, Iúna, Muniz Freire, Ibitirama, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Alegre, Jerônimo Monteiro, Bom Jesus do Norte, Apiacá, Mimoso do Sul, São José do Calçado e Muqui.

Entre os benefícios para a população com essas unidades da Rede Cuidar estão o atendimento mais próximo, evitando o deslocamento para a Grande Vitória; aumento da oferta de consultas e exames; redução do tempo de espera para consultas e exames; atendimento personalizado e humanizado; integração das equipes da atenção primária às equipes da atenção especializada, garantindo um atendimento multiprofissional capaz de resolver até 95% dos problemas de saúde da população em sua própria região.

Todas as regiões do Estado terão uma unidade da Rede cuidar. Além de Nova Venécia, Santa Teresa e Guaçuí, Linhares e Domingos Martins também contarão com uma Rede Cuidar. 

––

Fonte: Assessoria de Comunicação (Asscom)

Secretaria de Estado da Saúde (Sesa)

Tel.: (27) 3347-5642 / 5643

www.saude.es.gov.br

asscomsesaes@gmail.com

<-Voltar