Sesau realiza Oficina de Planejamento Regional Integrado do Estado

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) realizou a I Oficina de Capacitação do Grupo de Trabalho e Facilitadores para Realização das Oficinas Regionais do Planejamento Regional Integrado(PRI), com o apoio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). O objetivo central da oficina é capacitar técnicos gerenciais da Sesau para a condução do processo do PRI, a ser realizado em Rondônia, o que inclui possibilitar aos participantes a compreensão sobre o diagnóstico das necessidades em saúde da população, e as diretrizes para a Rede de Atenção Materno Infantil com base nas necessidades.

“Esse trabalho está sendo organizado através da resolução tripartite, todos os estados estão fazendo, vamos reprogramar as ações dos serviços de saúde, nosso público alvo são técnicos das gerencias regionais de saúde,  secretários municipais, técnicos  dos municípios que fazem parte  dos grupos condutores regionais, todos serão nossos  multiplicadores, vamos aprimorar na regionalização da saúde, serviços que hoje estão  concentrados em Porto Velho, como a UTI Neo Natal e atendimento a gestante de alto risco, nosso objetivo nessa Oficina é  trabalhar para regionalizar esses atendimentos, para que fiquem mais próximo dos usuários do cone sul, da Zona da Mata e da Região do Café”, disse a coordenadora de Apoio à Descentralização (Cosad/Sesau) Marta Duarte.

A representante do Conass, Monique Fazzi, destacou a importância da realização dessa Oficina. “O Conass faz apoio a projetos, ações e planejamentos da atenção que os Estados, juntamente com os municípios, realizam para atendimento da população, e esse projeto é um deles que compõem o programa, que desde o ano passado foi pactuado, mas que não foi realizado, por isso estamos realizando esse processo de planejamento que vai combinar com o plano regional, as macrorregiões que vão passar a ter um conjunto de saúde, elas são responsáveis pra garantir a integralidade do cuidado desde a atenção primária até a atenção terciaria, e também tentar melhorar e garantir o acesso aos usuários, e aos serviços de ações de saúde.
De acordo ainda com a representante do Conass, o serviço de saúde, isoladamente nos municípios, não consegue fornecer a assistência total do paciente em todos os níveis de atenção necessária, então os municípios, juntamente com os Estado, fazem uma complementariedade entre si para que possam oferecer a rede completa. “Esse planejamento regional é justamente isso, construir em conjunto e organizar os serviços que já estão disponíveis, e ao mesmo tempo identificar algum vazio assistencial e a necessidade de implementar o que falta para a rede se organizar e que os municípios possam  prestar uma assistência integral de saúde a população”, destacou Monique Fazzi.

ETAPAS

O processo do Planejamento Regional Integrado inicia-se com a definição das macrorregiões de saúde e do cronograma de sua implantação, aprovados por meio de deliberação da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e inclui as etapas de diagnóstico e análise da situação de saúde; definição de prioridades sanitárias; organização dos pontos de atenção das Redes de Atenção à Saúde – RAS, Programação Geral de Ações e Serviços de Saúde e definição dos investimentos necessários.

Fonte
Texto: Sângela Oliveira
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom – Governo de Rondônia

<-Voltar