SES/CE – Municípios devem se mobilizar para vacinação contra HPV

Meninas de 9 anos de idade que ainda não se vacinaram contra o papilomavírus humano, que provoca o câncer de colo do útero, devem tomar este ano duas doses da vacina HPV quadrivalente, que faz parte do Calendário Nacional de Vacinação e está disponível nas ações de rotina das unidades básicas de saúde e salas de vacinação em todo o Estado. A meta de cobertura estabelecida pelo Ministério da Saúde é de 80% da população de 38 mil meninas de 9 anos. Também devem se vacinar meninas de 10 a 13 anos que ainda não se vacinaram ou não completaram as duas doses necessárias para a efetiva imunização. A Coordenação Estadual de Imunizações recomenda aos municípios o envolvimento das secretarias municipais de Saúde e Educação para a operacionalização das ações de imunização, visto que a estratégia de vacinação nas escolas públicas e privadas possibilitam altas coberturas vacinais.

É fundamental garantir alta cobertura na segunda dose da vacina, seis meses após a primeira dose, para proporcionar a proteção necessária contra a infecção. A vacina HPV quadrivalente é altamente imunogênica, podendo variar de 97% a 99% a produção de anticorpos depois de completar o esquema vacinal. Contudo, uma única dose da vacina não gera proteção necessária para prevenir uma possível infecção pelo vírus do HPV. Em 2016 o esquema de vacinação passou a ser de duas doses, utilizado para todas as meninas e adolescentes de 9 a 13 anos. É importante ressaltar que o esquema de três doses permanece para todas as meninas e mulheres de 9 a 26 anos vivendo com HIV/Aids. Cabe aos gestores locais de saúde definir as estratégias que considerarem mais adequadas para o alcance de pelo menos 80% de cobertura vacinal.

O câncer de colo do útero é uma doença grave que pode levar ao óbito. É um importante problema de saúde pública devido à alta incidência e mortalidade, especialmente nos países em desenvolvimento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez uma projeção de 27 milhões de novos casos de câncer até o ano de 2030 em todo o mundo e 17 milhões de mortes pela doença. Os países em desenvolvimento, incluindo o Brasil, serão os mais afetados. No Brasil, em 2016, são esperados 16.340 casos novos de câncer de colo do útero, com um risco estimado de 15,85 casos a cada 100 mil mulheres.

O HPV é transmitido por contato direto com uma pessoa infectada, sendo que a principal forma de transmissão é por via sexual. Vários estudos demonstram que a melhor ocasião para vacinação contra o HPV é na faixa etária de 11 a 13 anos, quando a vacina proporciona níveis de anticorpos mais altos que a imunidade natural produzida pela infecção do HPV. Por isso a importância da vacina ser administrada antes do início da atividade sexual.

No acumulado de 2014 e 2015, o Ceará registrou cobertura vacinal de 103,69% da população de meninas de 11 a 13 anos como a segunda dose da vacina contra o HPV. Apenas na faixa etária de 9 anos, a cobertura foi de 54,06% da população de 37.880 meninas, com aplicação de 20.479 doses. Na faixa etária de 9 a 12 anos, foram imunizadas no ano passado 121.976 meninas, da população de 244.164 meninas, com 49,96% de cobertura vacinal.

 

Assessoria de Comunicação da Sesa

<-Voltar