Siram, novo sistema do MS, chega para acompanhar o atendimento de crianças com suspeita ou diagnóstico de microcefalia

siram

Nova ferramenta registra os atendimentos nos serviços de saúde, como estimulação precoce, consultas especializadas, exames de imagem realizados, entre outras informações, que possibilitarão o monitoramento da atenção prestada a essas crianças, e ainda a formulação de ações para o enfrentamento do problema.

 

Entrou no ar nesta terça-feira (26) o Sistema de Registro de Atendimento às Crianças com Microcefalia, o Siram. Ele foi desenvolvido para acompanhar, de forma permanente, o atendimento das crianças com suspeita ou já diagnosticadas. A plataforma está disponível para os gestores públicos que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS) e também para os gestores da rede privada de Saúde. O sistema, sob gestão do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas (Dapes), foi desenvolvido pelo Datasus, a partir de decisão do Grupo Técnico de Microcefalia da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS).

“O sistema foi criado para responder três questões fundamentais para os gestores e gestoras do SUS. São elas: quem são, onde estão e em quais especialidade essas crianças estão sendo atendidas”, explica a diretora-substituta do Dapes, Cristina Marques. Ela conta que nas próximas semanas, o MS capacitará, de forma presencial, os profissionais e gestores dos estados e municípios – prioritariamente das regiões Norte e Nordeste, as mais atingidas pela epidemia, “Esses profissionais serão responsáveis por preencher as informações sobre o acompanhamento das crianças nos serviços de saúde”, detalha Cristina. Ela diz que o MS  disponibilizará guias e manuais sobre o funcionamento do sistema.

O Siram registra os atendimentos nos serviços de saúde, como estimulação precoce, consultas especializadas, exames de imagem realizados, entre outras informações, que possibilitarão o monitoramento da atenção prestada a essas crianças, e ainda a formulação de ações para o enfrentamento do problema.

A iniciativa faz parte das estratégias para qualificação da atenção às crianças com microcefalia. Atualmente, o MS apoia e incentiva os estados e municípios, por meio da Estratégia de Ação Rápida, para que realizem a busca-ativa dos bebês nascidos com suspeita de microcefalia. A medida tem por objetivo acelerar o diagnóstico, o encaminhamento para a estimulação precoce e, eventualmente, para os serviços de reabilitação e atenção especializada, com o investimento pela pasta de, pelo menos, R$ 10,9 milhões, sendo R$ 2,2 mil por criança. O processo permitirá o encaminhamento assistencial mais adequado às necessidades de cada criança.

Manual Instrutivo SIRAM.

Link para a página do Siram: https://siram.saude.gov.br

<-Voltar