SUS oferta 415 mil próteses dentárias e supera meta

Número foi divulgado durante encontro internacional, em SP, que reuniu profissionais da área de saúde bucal para debater melhorias de ações do programa Brasil Sorridente

O Sistema Único de Saúde (SUS) ofertou 415 mil próteses dentárias à população em 2013 e, com isso, o Ministério da Saúde ultrapassou a meta de 400 mil unidades estabelecida para o ano no âmbito das ações do Programa Brasil Sorridente. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, nesta quinta-feira (30), na abertura do 32º Congresso Internacional de Odontologia em São Paulo. O investimento do governo federal na produção dessas unidades foi de R$ 169 milhões.

Nos últimos anos, o Brasil ampliou em aproximadamente 127% o número de próteses dentárias produzidas. Em 2010, foram 183 mil unidades; em 2011, a quantidade aumentou para 302 mil; e em 2012 foram produzidas 405 mil unidades. Hoje, são 1.650 municípios habilitados com Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPD), que têm contribuído para universalizar o acesso da população aos serviços de saúde bucal no SUS.

“Nós não tínhamos uma política nacional de saúde bucal, e o governo federal teve a ousadia de iniciar e intensificar essa política, fazendo com que saíssemos, por exemplo, de pouco mais de 100 mil próteses dentárias para 415 mil em 2013. Fez, ainda, com que chegássemos a mil Centros de Especialidades Odontológicas. Ou seja, demos um salto nos últimos anos na oferta de serviços gratuitos e tratamentos mais complexos, mas ainda temos muitos desafios pela frente, sobretudo expandir e qualificar cada vez mais a política de saúde bucal do SUS”, afirmou o ministro Alexandre Padilha.

O programa Brasil Sorridente beneficia, atualmente, 79,6 milhões de brasileiros. São 23.150 Equipes de Saúde Bucal espalhadas em 4.971 municípios – o que corresponde a uma cobertura de 89,2% dos municípios -, além de mil Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) implantados em 808 municípios. Em 2013, o Ministério da Saúde investiu R$ 871 milhões em ações do programa no país.

Durante o Congresso, que vai reunir, até o dia 2 de fevereiro, cirurgiões-dentistas, acadêmicos, coordenadores e técnicos de Saúde Bucal, além de profissionais da área, o Ministério da Saúde realiza o II Encontro Nacional do Programa Brasil Sorridente. O evento reúne os diversos atores envolvidos na construção da política pública de Saúde Bucal do país para propor melhoria das ações desenvolvidas na atenção básica e especializada.

BRASIL SORRIDENTE – Criado em 2004, o Programa Brasil Sorridente faz parte da Política Nacional de Saúde Bucal e prevê uma série de ações para facilitar e ampliar o acesso da população ao tratamento odontológico gratuito por meio do SUS.

Entre as medidas, destacam-se ações de promoção e prevenção, com a viabilização da adição de flúor nas estações de tratamento de águas de abastecimento público; a implantação das Equipes de Saúde Bucal (ESB) na Estratégia Saúde da Família; a reabilitação protética, por meio dos Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias e os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), serviços especializados em tratamento endodôntico (canal), cirurgia oral menor, periodontia (tratamento de gengiva), diagnóstico bucal, com ênfase ao diagnóstico de câncer bucal e ainda, em alguns casos, colocação de implantes e tratamento ortodôntico.

Por Tatiana Alarcon, da Agência Saúde
Atendimento à Imprensa
Salvar
(61) 3315-3580 e 3315-6249

<-Voltar