Susam promove debate sobre descentralização dos serviços de saúde no Amazonas

sesamterriResponsável por coordenar os processos de organização do sistema de saúde no território estadual, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) vem promovendo debates com órgãos de diferentes esferas com o objetivo de conhecer e compartilhar experiências que possam ajudar nos projetos de regionalização dos serviços de saúde.

Nesse caminho, o Departamento de Planejamento e Gestão da Susam (Deplan) realizou entre os dias 23 e 24 de fevereiro um debate sobre o processo de regionalização da saúde no Amazonas. A ideia, segundo a chefe do Deplan, Radija Lopes, foi reunir experiências exitosas praticadas por órgãos de diferentes áreas que possam contribuir ao grande desafio que é descentralizar os serviços de saúde na região.

“As redes de atenção à saúde precisam estar colocadas de uma forma que os serviços sejam ofertados cada vez mais próximos ao usuário. Nessa intenção, precisamos discutir como fazer a organização desse serviço, da rede hospitalar, ambulatorial, como otimizar o serviço para melhor atender a população”, afirma Radija.

O desafio de descentralizar os serviços de saúde no Estado é grande. Radija lembra que o Estado tem investido em telessaúde e em atendimentos itinerantes, por exemplo. Mas é importante que toda a rede de saúde, municipal e estadual, se envolva no debate de políticas que superem as barreiras regionais que ainda dificultam o acesso gratuito e universal à saúde. Geografia, comunicação, recursos humanos e econômicos são algumas delas.

“Temos tido avanços. Temos municípios procurando se estruturar melhor. Temos agora as unidades básicas fluviais, que estão chegando a alguns lugares. Isso é um avanço gradual. Então, precisamos rediscutir outros caminhos que possam avançar esse processo”, comenta Radija.

Uma das instituições que partilharam sua experiência em promover políticas públicas no interior do Estado foi a Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Convidado a falar das ações da Ufam nos municípios, o professor de medicina da universidade, Edson de Oliveira Andrade, afirmou que é compromisso da instituição participar de todo debate que possa contribuir para o desenvolvimento da região.

 “A natureza da Ufam é uma natureza amazônica. De tal forma, temos ações em todas as dimensões geográficas do Estado. São ações na capital e em campis do interior. Esses campis, e em especial o de Coari, é voltado para a área de saúde, e outras áreas também, que podem ajudar nesse processo importante da regionalização da saúde”, defende Edson.

O médico defende que quando se fala em assistência à saúde deve se pensar para além da ação dos profissionais que atuam no atendimento da população. “Assistência à saúde é um processo de conquista da cidadania. O indivíduo que tem plena capacidade de avaliar seu meio, suas circunstâncias sociais, é um indivíduo mais preparado para trabalhar sua saúde. Vemos a saúde hoje como uma coisa mais abrangente. Saúde é um processo social, envolve competências sociais que superam a antiga visão setorizada. A Ufam é uma universidade voltada para o povo, e tem maior interesse em servir a população”, afirmou Edson.

Mais de 60 profissionais da capital e do interior, de instituições federais, estaduais, e prefeituras, participaram da “1ª Oficina Retomada do Processo de Regionalização da Saúde no Amazonas – Repensando a Saúde no Território”. 

____________________________

Secretaria de Estado da Saúde – SUSAM

Assessoria de Comunicação

<-Voltar