Técnicos da SES, Ministério da Saúde e de Santa Maria debatem toxoplasmose por videoconferência

Foto: SES/RS

Uma videoconferência ocorreu hoje (26/4) à tarde entre técnicos da Secretaria Estadual da Saúde e da Secretaria Municipal de Saúde de Santa Maria para tratar do surto de toxoplasmose no município. Participaram também quatro integrantes do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada do SUS (EpiSUS), do Ministério da Saúde. “Estamos trabalhando principalmente na busca da fonte de infecção”, informou a diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), Marilina Bercini.

Na pauta, temas como acompanhamento/tratamento a gestantes, óbito fetal, investigação ambulatorial, entre outros. Conforme os técnicos, o risco maior para toxoplasmose é em gestantes, pois o feto pode ficar comprometido pela ação do parasita.

As notificações dos casos naquele município iniciaram em meados de abril. A partir daí começou uma investigação conjunta estado/município para verificação das causas. A toxoplasmose é causada por um parasita que contamina o ser humano.

Para prevenir a doença há orientação como lavagem de mãos, cuidados com higiene para quem manuseia gatos e evitar consumo de alimentos de procedência desconhecida. A água a ser bebida deve ser tratada, fervida ou filtrada. E ir ao médico se houver sintomas como febre, cefaleia ou mialgia.

Amanhã, às 15h, haverá uma entrevista coletiva, em Santa Maria, para divulgação das últimas informações sobre a doença, com a participação da diretora Marilina.

<-Voltar