Uma dieta variada, rica em vitaminas, antioxidantes e fibras, gera mais energia

A ansiedade, a pressão e o corre-corre que geralmente aparecem na rotina do trabalho podem fazer com que as pessoas deixem de lado a importância de se alimentar corretamente. De acordo com a gerente de nutrição da Secretaria de Saúde do DF, Aino Giovenardi, uma alimentação balanceada é essencial para a rotina do dia-a-dia.

“A recomendação básica é que se façam três refeições principais intercaladas com pequenos lanches saudáveis. Os lanches entre as refeições principais evitam que a pessoa fique muito tempo sem se alimentar e faça a refeição seguinte com muita fome e, consequentemente, coma em excesso. Isso acaba deixando a pessoa estressada e improdutiva no trabalho ou na escola”, explica.

Uma dieta variada, rica em vitaminas, antioxidantes e fibras, pode ajudar os profissionais a terem mais energia para atuar diante dos desafios. “Alimentos práticos como frutas in natura, que não precisam de refrigeração, são ótimos pedidos para quem trabalha no horário que intercala com as das refeições. No caso de haver disponibilidade de geladeira no ambiente de trabalho, podem ser incluídos outros tipos de frutas em pedaços, prontos para consumo, bem como sucos e iogurtes”, sugere Aino Giovenardi.

Alimentos muito gordurosos e de difícil digestão devem ser evitados no período de trabalho, pois causam sonolência e indisposição. “Nesses períodos, alimentos leves ajudam em um maior bem-estar e manutenção da saúde. As frutas da época são as melhores opções, pois, além de mais saborosas, também são mais ricas em vitaminas e minerais”.

Para quem trabalha ou estuda pela manhã, o café da manhã é essencial para fornecer as energias necessárias para dar início às atividades diárias, pois o organismo se encontra em jejum de várias horas. “O organismo gasta nutrientes para manter suas funções vitais e os mesmos devem ser repostos. Pular o café da manhã significa pular uma refeição. Isso, consequentemente, vai te deixar mais cansado e com fome na hora do almoço, contribuindo para um maior consumo e risco de obesidade”.

A Secretaria de Saúde disponibiliza um Guia Alimentar, onde mostra exemplos de porções de alimentos que podem auxiliar na montagem de um cardápio balanceado e os 10 passos para uma alimentação saudável. Caso necessite de um nutricionista, a recomendação é que procure um centro de saúde para as devidas orientações.

Link: Para o guia alimentar (Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde)

André Barros – SES DF

<-Voltar