Seminário debate cuidados continuados e paliativos

Conselho de secretários escolheu o tema devido ao contexto de transformações que tem alterado, significativamente, o perfil demográfico e epidemiológico das populações 

Secretários de Saúde e especialistas de todo o país se reuniram em Brasília para debater os avanços e as mudanças que afetam os cuidados continuados, integrados e paliativos – aqueles destinados a pacientes não possuem nenhuma autonomia.

A abertura do evento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) foi realizada nesta terça-feira (26) pelo secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, que representou toda a diretoria do conselho no evento.

Foram convidados para o debate representantes do pensamento sanitário brasileiro, além de palestrantes internacionais. Eles apresentarão, até quarta-feira (27), as experiências de seus países sobre os desafios e oportunidades dos cuidados continuados e integrados no mundo.

“O Conass trouxe autoridades muito importantes nessa área, tanto brasileiros como estrangeiros, para debater as experiências de vários países. Eles mostrarão seus acertos e erros para melhorarmos mais os atendimentos aos nossos pacientes”, afirmou Okumoto.

Na rede pública do DF, o secretário citou como exemplo nesta área o Hospital de Apoio de Brasília (HCB), que tem 29 leitos para cuidados paliativos – 19 deles destinados à Oncologia e dez à Geriatria. “É necessário que a saúde do Brasil seja cada vez mais voltada para esses cuidados”, ressaltou.

Transformações sociais
O Conass escolheu esse tema devido ao contexto de transformações sociais, políticas e econômicas que tem alterado, significativamente, o perfil demográfico e epidemiológico das populações em todo o mundo. Isso também afeta os sistemas de saúde, sobretudo aqueles que atuam de forma semelhante ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Para a representante da Coordenação-geral Hospitalar e Domiciliar do Ministério da Saúde, Mariana Borges, o evento é uma oportunidade para marcar um novo momento do cuidado paliativo no país.

“Aqui, agregamos diversas forças e interessados, movidos pelo ideal de melhorar a rede. Vamos construir, com nossos convidados estrangeiros, algo efetivo e factível para a realidade brasileira”, destacou.

O evento foi transmitido ao vivo, com tradução simultânea:

Fonte: Agência Brasília

<-Voltar