24H PELO DIABETES: Maratona online organizada pelo CBO estimulará conscientização sobre doença que pode causar a cegueira

A internet será o palco de uma grande mobilização de conscientização sobre a importância da prevenção, diagnóstico e tratamento precoce da retinopatia diabética, uma doença decorrente do diabetes e que afeta milhões de pessoas, podendo causar a cegueira, se não forem tomados os cuidados necessários. A ação acontece no próximo sábado (20), a partir de 9 horas, e conta com a promoção e coordenação do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Assim, o projeto “24h pelo diabetes” oferecerá conteúdo de qualidade a quem convive com a doença e quer entender melhor seus mecanismos e formas de prevenção, controle e tratamento. Além de palestras, debates, entrevistas e reportagens, a população terá à disposição, durante a maratona online, acesso a um serviço gratuito de teleorientação, com a participação de médicos oftalmologistas e de outras diversas especialidades.

Link – O atendimento online estará disponível àqueles que realizarem agendamento prévio no site www.24hpelodiabetes.com.br. O interessado deve preencher um formulário e escolher o horário da consulta, o que lhe garante um link de acesso à uma sala privada, onde poderá conversar com profissionais dispostos a ouvir e esclarecer todas as dúvidas sobre os mais variados temas relacionados ao diabetes e à retinopatia diabética.

“Entendemos que a prevenção é fundamental na melhora da qualidade de vida das pessoas que sofrem com o diabetes. Diante da pandemia, que tem trazido restrições à interação das pessoas, o CBO enxerga nas atividades online uma saída para que a promoção da saúde ocorra, garantindo orientação adequada a todos os envolvidos”, afirmou o presidente do Conselho, José Beniz Neto. Segundo ele,

Canal oficial – Por sua vez, as demais atividades da maratona, como os debates e palestras, serão transmitidas no canal oficial do CBO no YouTube durante todo o dia. O vice-presidente do Conselho, Cristiano Caixeta Umbelino, é um dos entusiastas da iniciativa: “em 2020, quando o projeto 24 horas pelo Diabetes nasceu, tivemos a certeza de que estava surgindo um marco no campo da mobilização pela saúde. Essa experiência alcançou grande êxito e já inspirou ações semelhantes, como o 24 horas pelo Glaucoma”.

A ação, que acontece no sábado, integra a programação do Novembro Azul, campanha nacional que coloca em foco os cuidados e a prevenção contra o diabetes. Ao longo do mês, oftalmologistas das cinco regiões do Brasil organizam mutirões de atendimento a pessoas que vivem com esse problema. Nos encontros, os interessados são atendidos com exames específicos voltados, principalmente, ao diagnóstico precoce da retinopatia diabética. Essa doença atinge os pequenos vasos da retina e é a principal causa de cegueira evitável entre indivíduos de 20 a 64 anos.

Subnotificação – Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), mais de 10 milhões de brasileiros convivem com essa doença. No entanto, esse número pode ser bem maior devido à subnotificação. Estima-se que um em cada dois adultos com diabetes não tenha o diagnóstico, o que faz da informação um fator de extrema importância para o início do tratamento adequado.

“Nesse cenário, as ações de educação, prevenção e assistência podem trazer mudanças significativas nas vidas de milhares de brasileiros. Por isso, o CBO empenha esforços para que o 24 horas pelo diabetes consiga alcançar o máximo possível de pessoas. Ajude-nos a divulgar essa atividade e faça parte de nosso esforço pela saúde”, afirma Pedro Carricondo, coordenador desse projeto em 2021.

O “24 horas pelo diabetes” conta com o engajamento de médicos voluntários de diversas áreas da saúde. Além dos profissionais, diversas entidades púbolicas e privadas empenharam apoio à iniciativa. Dentre as sociedades de especialidades médicas envolvidas com a iniciativa estão as de Cardiologia (SBC), Geriatria e Gerontologia (SBGG), Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), Nefrologia (SBN), Pediatria (SBP), Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV). O Ministério da Saúde e os Conselhos Federal de Medicina (CFM) e de Secretários Municipais e Estaduais de Saúde (Conass e Conasems) também participam.

Fonte: CBO

<-Voltar