Agentes Comunitários de Saúde: 30 anos de dedicação ao SUS

Foto: Divulgação

Há 30 anos foi lançado em Brasilia, o PNACS, depois PACS. Naquele momento, por unanimidade, os coordenadores estaduais do programa do Nordeste, decidiram  iniciar a implantação no estado da Paraíba, denominado de Estado “Piloto”, onde todas as coordenações dos estados do nordeste para lá foram, e em união com um só objetivo iniciaram-se  os primeiros passos da Estratégia que trazia em sua gêneses a responsabilidade sanitária de assegurar o direito a saúde, como um direito de cidadania e dever do Estado Brasileiro.

Os resultados positivos não demoraram a aparecer, assim como a necessidade de ampliar o programa para todo Brasil; a partir daí, em 1994, foi desenhado e criado o PSF, depois ESF. 

Isso tem um valor histórico para a nossa APS enorme, pois naquela época os serviços de APS ainda eram escassos. O PACS e a ESF são uma conquista nossa, (gestores, trabalhadores da saúde, conselhos de saúde) um exemplo de continuidade em uma política de saúde, tão raro no Brasil.

Passados trinta anos, ao olharmos para o retrovisor, recordamos muitos sucessos, entre eles:

  1. Redução da Mortalidade Infantil;
  2. Redução da Mortalidade Materna;
  3. Acompanhamento e Monitoramento dos agravos crônicos;
  4. Apoio à organização da APS em sintonia com os demais pontos do sistema e serviços de saúde;
  5. Mobilizações para integrar as políticas publicas setoriais;
  6. Participação ativa nas campanhas  de vacinação  em todos os municípios brasileiros, e monitoramento do calendário vacinal das crianças no dia a dia, aumentando as coberturas vacinais de rotina.

Esses resultados foram frutos de muito trabalho, realizado com planejamento, organização e liderança.

O CONASS parabeniza a todos os ACS do Brasil, que com o seu trabalho, contribuem para o desenvolvimento de uma  Atenção Primária forte e resolutiva.

<-Voltar