Assessores de Comunicação das SES debatem estratégias para comunicação em Saúde

Brasília – Assessores de comunicação das Secretarias Estaduais de Saúde (SES), participaram nesta semana (25 e 26) da reunião da Câmara Técnica de Comunicação em Saúde do Conass para discussão e capacitação em Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais.

Na abertura do encontro o secretário executivo do Conass, Jurandi Frutuoso, destacou a importância dos encontros do grupo e, principalmente, do entendimento dos gestores sobre a importância das áreas de comunicação para as secretarias e das estratégias para execução de uma comunicação que fortaleça e consolide o Sistema Único de Saúde. “Este fórum foi criado em 2006 ao entendermos a importância da comunicação para o SUS, pois entendemos que, sem uma comunicação efetiva, bem formada e orientada tanto nos estados, como nos municípios e nacionalmente, não vamos conseguir vencer os desafios que existem. Precisamos de técnica, de fluxos, de estratégias e saber que a comunicação deve ser feita para os usuários e não apenas para quem governa”, disse.

Da esquerda para a direita: Isabel Pimental, Marcus Carvalho, Jurandi Frutuoso e Ana Luiza Wenke

A maioria dos participantes destacaram as expectativas em relação à reunião e em relação à troca de experiências e aprendizado a partir das ações dos outros estados. Também falaram sobre a necessidade e o desejo de fazer uma comunicação mais proativa, voltada para os usuários.

O gerente de Comunicação do Conass, Marcus Carvalho, ressaltou aos participantes a necessidade de, no retorno aos seus estados, replicarem para a equipe de comunicação os ensinamentos adquiridos nos dois dias de reunião. “A comunicação não é apenas uma ferramenta operacional. Ela é também uma área técnica e estratégica para a gestão. Por isso, cada um de vocês deve disseminar os conteúdos aqui debatidos e aplica-los de acordo com a realidade de cada estado”.

A coordenadora de comunicação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Isabel Pimentel falou sobre como organizar uma Assessoria de Imprensa. Ela ressaltou a importância de um plano de comunicação capaz de ajudar nas análises, no planejamento e na identificação de públicos.

Sobre o trato com os jornalistas, ela ressaltou ser importante criar uma relação a fim de entender o que ele quer e como pretende conduzir a matéria. “É importante identificar as possíveis fontes que podem falar a respeito, prepará-las, acompanhar a entrevista e depois monitorar o seu desdobramento na mídia”.

Isabel destacou ainda a necessidade da criação de fluxos que devem contemplar reuniões de pauta nas gerências, reunião de pauta com coordenadores das assessorias de comunicação diariamente, produção de relatórios para os gerentes gerais com informações sobre demandas de imprensa, assuntos que estão em pauta nas mídias sociais etc.

Já a coordenadora de Comunicação do Hospital da Criança de Brasília José de Alencar, Ana Luiza Wenke, abordou a temática do relacionamento do assessor de imprensa com os jornalistas. “Jornalistas são parceiros para contar uma história de interesse da sociedade. Gerar confiança e estabelecer relacionamentos por meio da construção constante, investimento de tempo e conhecimento mútuo, são fatores fundamentais nessa relação”.

Participação do Ministério da Saúde

Renato Strauss, chefe da Assessoria de Imprensa e Informação do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde (MS) também esteve presente na reunião da Câmara Técnica de Comunicação em Saúde. O chefe da assessoria de imprensa e informação do ministério, Renato Strauss, apresentou a estrutura da assessoria e chamou a atenção para as mudanças ocorridas nas formas de comunicação com o advento da tecnologia que acabaram exigindo que a informação esteja em todas as mídias sociais. “As informações estão sendo consumidas de inúmeras formas. O MS trabalha com a comunicação integrada onde profissionais transitam em todas as áreas para que todos conheçam as ferramentas e veículos. A saúde tem espaço continuado na mídia”, ressaltou.

Já a coordenadora de Multimídia do Ministério da Saúde, Ana Miguel, explicou o funcionamento das mídias sociais da pasta.  Para ela é fundamental saber qual é o público pretendido nas ações de comunicação, além de analisar o perfil dos seguidores a cada trimestre. “Monitoramento é estratégico, pois é necessário saber o que está acontecendo e o que estão falando de você na Mídia Social”, afirmou.

Ela explicou ainda a importância de dar retorno rápido ao usuário/seguidor, tanto para questões de crise, quanto para pontos positivos. “O ambiente é interativo e dinâmico. Dúvidas e respostas geram pautas, portanto precisamos usar a intervenção de forma estratégica”.

Canal Saúde

Márcia Correa e Castro, Superintendente do Canal Saúde

Como transformar informação em comunicação? Essa foi a apresentação feita pela superintendente do Canal Saúde, Márcia Correia e Castro. Ela afirmou que o campo da Comunicação é um contexto de produção e disputa de verdades e está sempre em movimento e submetido ao contexto e à conjuntura.

Segundo ela é preciso fortalecer atores e processos de comunicação para além da centralidade da mídia e qualificar o diálogo com a mídia de massa. “A mídia é (apenas) um pedaço importante na arena da comunicação. Alguns canais são hegemônicos, outros são mais periféricos. Vocês são os maiores especialistas em seus estados e o diálogo se dá em contexto específico e conhecimento do território. Comunicação é contexto”, destacou.

Gestão de Mídias Sociais e Revolução do Conteúdo

Cássio Politi falou sobre a revolução do conteúdo e também de mídias sociais

Cássio Politi, da Comunique-se/Tracto, ministrou para os assessores de imprensa das SES o workshop Gestão de Mídias Sociais. Ele observou ser necessário avaliar estrategicamente as Mídias Sociais, destacando que a assessoria de imprensa ainda é a atividade principal das Assessorias de Comunicação e como medir os resultados dessa atuação.

Politi também falou sobre a revolução do conteúdo e afirmou que as secretarias de saúde dos estados falam diretamente com o cidadão sem o intermédio da imprensa, podendo portanto, atuar como um veículo de comunicação.

Projeto de Apoio às Ascom das SES

A jornalista do Conass, Adriane Cruz, apresentou o projeto de Apoio às Ascoms das SES. O projeto surgiu a partir do Estudo Descritivo da Área de Comunicação: Estrutura e Principais Cenários das Secretarias Estaduais de Saúde, realizado em seu mestrado em saúde coletiva pela Universidade de Brasília, realizado em 2014.

Para isso, será feita uma atualização dessas estruturas a partir de um novo questionário a ser aplicado nas Assessorias de Comunicação das SES.

O apoio do Conass se dará nas seguintes áreas temáticas: Assessoria de Imprensa, Capacitação dos Gestores (Media Training), Comunicação Interna (Endomarketing), Gerenciamento de Crise, Mídias Sociais, Mobilização Social, Prevenção e Promoção da Saúde, Planejamento para Comunicação em Saúde e Autoavaliação e Produção Audiovisual

As fotos do encontro estão disponíveis na nossa galeria no flickr

Assessoria de Comunicação do Conass

ascom@conass.org.br

(61) 3222-3000

<-Voltar