Bahia – Monitoramento dos Sinistros de Trânsito – 2º Quadrimestre 2021

A notificação é um instrumento disparador dos processos da gestão e do cuidado. A Portaria nº 1.290 de 09 de novembro de 2017 , regulamentou na Bahia a notificação dos sinistros de trânsito no SINAN, no período 2017 a 2021 foram registrados 72.963 casos do agravo.

A comparação entre os dois primeiros quadrimestres de 2021 demonstra a redução de notificações de 3,0% passando de 5.323 para 5.168 (Figura 1). Ressalte-se que 23,74% (99) municípios não realizaram notificações de sinistros de trânsito, o que pode significar desconhecimento dos profissionais sobre ser o mesmo de notificação compulsória para o Estado ou subnotificação. Fatores estes que reforçam a necessidade dos profissionais serem capacitados para implementação da vigilância do agravo.

Figura 1. Números de notificações de sinistros de trânsito 2º Quadrimestre. Bahia, 2017 – 2021*

Fonte: SESAB/SUVISA/DIVEP/SINAN – Sistema de Informação de Agravos de Notificação

*Dados acessados em 10/09/2021.

Na Bahia, a morbidade hospitalar do SUS por sinistros de trânsito no período de 2017 a 2021 registrou 58.111 internações, com custo total de R$ 53.995.925,71. Ressalte-se que o grupo de motociclista traumatizados foram as principais vítimas com 68,5% (31.126) e representou um custo de R$ 360.065,53, seguidos dos pedestres com 13,8% (6.282) internamentos e custo de R$ 9.935.248,30. Figura 2

Figura 2. Número e valor das internações por sinistros de trânsito, segundo ano do atendimento.Bahia, 2017 – 2021*.

Fonte: Ministério da Saúde –Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS)

*Dados acessados em 10/09/202.

Entre os anos de 2017 e 2021 foram a óbito por consequência dos sinistros de trânsito na Bahia 10.202 indivíduos. A desagregação segundo o grupo de vítimas demonstra que os maiores registros foram motociclistas com 31,77% (3.242)  seguido dos ocupantes de automóvel correspondendo à 28,70% (2.928).

A pandemia da COVID-19 levou ao aumento dos serviços de delivery realizado por condutores de motocicletas, sem experiência que devido ao isolamento social e ao contexto socioeconômico agravado pelo SARS-COV 2; a pressão pela pontualidade nas entregas, jornada de trabalho excessiva, bem como as vias mais livres favorecendo o aumento da velocidade, constituem fatores de risco importantes para a elevação da morbimortalidade deste grupo de vítimas. Figura 3

Figura 3. Número de óbitos por sinistros de trânsito, segundo o grupo de vitimas.Bahia, 2017 – 2021.

Fonte: SESAB/SUVISA/DIVEP/Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM

*Dados preliminares atualizados em 08/09/2021 e acessados em 10/09/2021

Segundo o local de ocorrência no período analisado, a maior proporção das vítimas foram a óbito em via pública com 51,41% ( 5.575) o que traduz a gravidade das lesões geradas pelos sinistros de trânsito e a necessidade de monitoramento para intervenção nas chamadas “zonas de calor” (locais com maiores índice de acidentes na via pública), seguido por unidades hospitalares 33,09% (3.589) , ressaltando a importância notificação do agravo nas unidades portas abertas para traumas.( Figura 4)

 Figura 4. Número de óbitos por sinistros de trânsito, segundo local de ocorrência. Bahia, 2017 – 2021*.

Fonte: SESAB/SUVISA/DIVEP/Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM

*Dados preliminares atualizados em 08/09/2021 e acessados em 10/09/2021

Os sinistros no trânsito, ainda, são responsáveis por dezenas de vidas perdidas a cada ano, principalmente de homens jovens em plena capacidade para o trabalho, gerando impacto na economia, com a  proporção 85% (9.250) das mortes (Figura 5).

Figura 5. Proporção de óbitos por sinistros de trânsito segundo o sexo. Bahia, 2009-2021*

                       Fonte: SESAB/SUVISA/DIVEP/Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM

                      *Dados preliminares atualizados em 08/09/2021 e acessados em 10/09/2021

O trânsito impacta na mortalidade da população geral, entretanto as faixas etárias mais afetadas são a dos adultos jovens entre 20 a 49 anos,  concentrando 61,35% (6.653) das mortes (Figura 6).

Figura 6. Proporção de óbitos por sinistros de trânsito segundo faixa etária, Bahia 2017-2021*

Fonte: SESAB/SUVISA/DIVEP/Sistema de Informação sobre Mortalidade – SIM

*Dados preliminares atualizados em 08/09/2021 e acessados em 10/09/2021

O  monitoramento dos sinistros de trânsito que incluem a análise dos dados de morbimortalidade sobre o agravo, são importantes para o planejamento das estratégias de enfrentamento a este grave problema de saúde pública, principalmente para a implementação das ações da prevenção dos acidentes graves e fatais.

Atuar sobre os fatores de risco: dirigir sob influência de álcool e velocidade excessiva ou inadequada que são trabalhados pelo Programa Vida no Trânsito (PVT), bem como da distração ao dirigir, principalmente pelo uso do celular é fundamental na redução dos acidentes de maior gravidade e óbitos. O PVT subsidia o planejamento de intervenções efetivas de segurança no trânsito em articulação com os setores de saúde, trânsito, segurança, educação, mobilidade urbana e outros.

 O GT-Causas Externas/CODANT/DIVEP vem trabalhando o Projeto para ampliação do PVT no Estado,com mais 13 municipios .Algumas das ações desenvolvidas pelo GT inclui:

  • a elaboração do informe quadrimestral sobre os sinistros de trânsito;
  • participação do comitê e do grupo de análise do Programa Vida no Trânsito Salvador;
  • reunião com a coordenação PVT Salvador previsto para setembro;
  • articulação com o municipios pré selecionados (13) para apresentação virtual sobre o PVT.
  • Participação nas reuniões do Projeto de Enfrentamento à Morbimortalidade por AT do CONASS.
Dia 15/06 – Web-reunião de trabalho do grupo do Projeto de enfrentamento à morbimortalidade por AT
Dia 13/07 – Web-reunião temática do Projeto de enfrentamento à morbimortalidade por AT –

Fortalecimento da Rede Intersetorial no enfrentamento à morbimortalidade por AT

Dia 12/08 – Web-reunião temática do Projeto de enfrentamento à morbimortalidade por AT –

Advocacy no enfrentamento à morbimortalidade por AT –

 

Graciele Menezes

GT-CAUSAS EXTERNAS/SINISTROS DE TRÂNSITO

 

Ana de Fátima Cardoso Nunes

Coordenadora CODANT/DIVEP

divep.dant@saude.ba.gov.br

 divep.dant@gmail.com

71- 3103 – 7733

71- 3103 – 7705

Fonte: SES/BA

<-Voltar