CD 37 – PESQUISA MULTICÊNTRICA SOBRE EVENTOS ADVERSOS RELACIONADOS A MEDICAMENTOS

Segurança do Paciente vem se estruturando no Brasil ao longo dos últimos anos, assumindo um importante espaço na agenda dos gestores públicos. O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), representado pela assessora técnica Carla Ulhoa André, em parceria com a Organização Pan- Americana (OPAS), representada pelo Dr. Renato Tasca, reconhecendo tal importância, corroboram esta pesquisa trazendo vários especialistas com práticas comprovadas em Segurança do Paciente para desenvolvimento de produções técnico-científicas.

Em face desse reconhecimento, o Conass apresenta a publicação  “Pesquisa Multicêntrica sobre Eventos Adversos Relacionados a Medicamentos (PMEAM) enquanto importante pesquisa multicêntrica proposta para realização nas cinco macrorregiões do país, que trouxe uma ampla visão acerca da carga de danos e impactos financeiros no Sistema Único de Saúde (SUS).

A pesquisa objetivou mapear a ocorrência de eventos adversos relacionados a erros de medicação e seu impacto no desfecho, tempo de permanência e custos em unidades de terapia intensiva neonatais, favorecendo as condições de ensino e aprendizado para o fortalecimento da segurança do paciente com ênfase na prevenção de erros de medicação.

Destaca-se, como proposta da presente publicação, apresentar aos gestores e corpo técnico das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) estratégias de melhoria que favoreçam a transformação nas práticas relacionadas a erros de medicação em unidades de terapia intensiva neonatal.

A Câmara Técnica de Qualidade no Cuidado e Segurança do Paciente – CTQCSP do Conass, criada em 2017, atua em várias frentes e tem abordado e valorizado o enfrentamento dessa problemática na medida em que tem relação direta na formulação de políticas e estratégias para prevenir erros e implantar e aperfeiçoar práticas de segurança do paciente por meio de consensos técnicos com as equipes das SES.

Tendo em vista que essa publicação se constitui em fonte de pesquisa, especialmente para a oportunidade de educação em saúde, destacam-se dela quatro importantes considerações. A primeira é que a educação em saúde e a pesquisa se fazem necessárias para aprimorar as práticas dos profissionais nas unidades de saúde. A segunda é que os serviços de saúde precisam propor ações de gerenciamentos e práticas seguras a fim de prevenir riscos aos pacientes. A terceira é que a gestão deve contribuir para o aperfeiçoamento de uma cultura de segurança do paciente, gerando estratégias condizentes com as políticas públicas, investindo na prevenção de erros.

A quarta e última consideração, não menos importante, refere-se à necessidade que os gestores têm de medir e analisar os valores relacionados com os resultados encontrados em seus indicadores e relatórios, na constante busca para atingir metas e assegurar aos seus processos maior qualidade, que, por sua vez, suscitará eficiência e, sobretudo, segurança do paciente.

 

Boa leitura!

 

eBook