Conass participa do lançamento do Curso de Especialização em Saúde Digital da UFG

Esta semana a Universidade Federal de Goiás (UFG) promoveu o evento de abertura da primeira turma do Curso de Especialização em Saúde Digital da UFG. O assessor técnico do Conass, Felipe Ferré, participou do debate que teve como tema os desafios e oportunidades da saúde digital.

Segundo Ferré, o curso é importante porque traz a competência digital que é algo estratégico para todos os marcos do SUS. “A saúde de digital vem a  calhar em dois alicerces que mantém as políticas de saúde que são a gestão baseada em evidências clíninas e a gestão baseada em evidências epidemiológicas”, disse o assessor do Conass.

A produção de dados do SUS, atualmente na casa dos bilhões de registros, mostra, por si só, a superioridade do modelo de saúde universal frente a outros modelos existentes. Contudo, historicamente, as políticas de saúde são lançadas sem a devida construção da respectiva estratégia de informação e informática, sendo, inclusive, parte dos entraves à sua implementação.

Dessa forma, a pauta da saúde digital é estratégica para a consolidação do sistema de saúde brasileiro a partir das grandes bases de dados clínicas e epidemiológicas acumuladas nas três décadas do SUS. No momento atual em que precisamos reafirmar os princípios imprescindíveis da universalidade, integralidade e equidade, as decisões tripartite baseadas em evidência ganham força com dados e informações qualificadas, sobretudo por especialistas com dupla formação, em saúde e em informática.

Na abertura foi enfatizado que o Conass prioriza a qualidade do insumo para a decisão clínica e populacional. A superação do modelo analógico, focado nas informações apenas legíveis por humanos, depende da formação de profissionais alfabetizados em saúde digital. A informática em saúde constitui área do conhecimento em destaque, cuja linguagem surge da junção dos vocabulários das ciências da computação e das ciências da saúde.

Essa nova linguagem possibilita que humanos possam se comunicar por meio de máquinas que se comunicam entre si. Essa interoperabilidade entre sistemas de informação é o que prepara a estratégia de saúde digital para a revolução da indústria 4.0 com as ferramentas de processamento massivo de dados, inteligência artificial e internet das coisas.

O perfil esperado do especialista em saúde digital é a busca por comunicação e cooperação com diferentes áreas da saúde, para além do próprio escopo de atuação. Com a diversidade e disponibilidade de dispositivos tecnológicos estamos no momento oportuno para a atenção em saúde se comunicar estreitamente com a vigilância, e esta com a assistência farmacêutica, por meio da integração de dados.

O Conass espera que os discentes e docentes estabeleça, meios para a integração entre os profissionais para que estes pensem no sistema de saúde como um todo, antes de priorizar a resolução de tarefas exclusivas do próprio cotidiano.

É necessário abandonar a concepção da saúde digital como informatização ou automação de tarefas burocráticas. Saúde digital é a junção de diferentes áreas de saúde por meio de máquinas que se comunicam para tornar o sistema orgânico, participativo, descentralizado e regionalizado com resolutividade.

Assista ao debate na íntegra:

Ascom Conass

ascom@conass.org.br

(61) 3222-3000

<-Voltar