Governo do Amapá confirma casos de covid- 19 em tripulantes de navio que veio do Maranhão

Dos 23 funcionários, 19 foram diagnosticados com a doença. SVS realiza o monitoramento sanitário e mantém o isolamento da tripulação
O Governo do Amapá confirma nesta terça-feira, 8, que, 19 dos 23 tripulantes do Navio Forte de São José estão com o novo coronavírus; a embarcação veio do estado do Maranhão e está fundeada em águas amapaenses desde 4 de junho. O Estado realiza o monitoramento e a investigação epidemiológica da tripulação do navio, que está em quarentena. Não há qualquer confirmação para a variante que surgiu na Índia.

 Foto: Reprodução SVS

Desde que o navio chegou ao Amapá, a Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) iniciou o monitoramento sanitário, manteve o isolamento da tripulação e recomendou a prática dos protocolos sanitários, além de comunicar o caso à Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa).

Segundo a SVS, três tripulantes estão sob cuidados em um hospital de Macapá. Os demais positivados seguem em isolamento a bordo, e só haverá desembarque de tripulantes se houver necessidade de hospitalização, desde que se cumpram todas as exigências sanitárias para o translado dos tripulantes.

A SVS, seguindo os critérios da Rede Genômica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vai encaminhar as amostras para sequenciamento genético de variantes do Sars-Cov-2 ao Instituto Evandro Chagas (IEC), em Belém- PA.

“Toda a tripulação do navio segue em monitoramento restrito. Os cuidados especiais para que os infectados não circulem entre a população estão sendo tomados. A precaução com os pacientes de outros estados é essencial para mantermos o equilíbrio sob a pandemia e minimizar o risco do aparecimento de novas cepas em nosso estado”, informou o superintendente da SVS, Dorinaldo Malafaia.

O Laboratório Central do Amapá (Lacen) realizou os testes. Além da SVS, também são responsáveis pelo monitoramento as secretarias de Estado de Saúde (Sesa), e Municipal de Saúde de Macapá e a Anvisa.

Por: Nathanael Zahlouth .Colaboradores: Marcelo Guido, Marco Antônio P. Costa

<-Voltar