Grupos temáticos em UBSs terão perfil dos moradores

Com equipes de saúde da família, idosos, gestantes, diabéticos e hipertensos terão mais espaço

BRASÍLIA (16/10/17) – A conversão do modelo de atenção primária para a Estratégia Saúde da Família vai fortalecer mais um vínculo com a população atendida em cada região: o de grupos temáticos. Idosos, gestantes, adolescentes, hipertensos, diabéticos e fumantes, que hoje já têm encontros nas unidades básicas de saúde, agora passarão a ter ainda mais o perfil de cada local atendido.

“Os grupos são atividades de extrema importância nas ações assistenciais das equipes de saúde da família porque têm o objetivo de promoção de saúde e prevenção de doenças em todos os seus níveis – desde como evitar a doença em si até suas possíveis complicações”, destaca a diretora de Áreas Estratégicas da Atenção Primária, Luciana Versiani Moreira.

Porém, com a conversão do modelo, cada unidade de saúde terá o grupo que tenha mais o perfil de sua população. “Em razão da equipe de saúde estar mais próxima da população que atende e de suas necessidades, os grupos terão mais qualidade e serão voltados para o que aquela população realmente necessita. Por exemplo, se uma região tem mais idosos, as unidades básicas de saúde terão grupos voltados para este público. Se tem mais jovens, o foco serão os grupos para gestantes, adolescentes”, explica Luciana.

TABAGISMO – Uma das grandes preocupações da população é que com a conversão do modelo de atenção, principalmente os grupos de tabagismo fossem encerrados.

Muito pelo contrário. “Com a conversão do modelo, nossa expectativa é que o atendimento de tabagismo possa ser oferecido por livre demanda, como no caso das vacinas. Ou seja, que os pacientes possam ser atendidos nas unidades que realizam tratamento de fumantes, independentemente de serem daquela região”, explica a responsável pelo Programa de Tabagismo da Secretaria de Saúde, Maria Suélita de Lima.

Atualmente, 49 equipes atuam nos grupos de tabagismo pela Secretaria de Saúde. Neste ano, 1.419 pacientes já foram atendidos, sendo que 711 pararam de fumar após a quarta sessão de tratamento.

Uma capacitação está prevista para o final deste mês e a intenção é que após o curso, outros grupos sejam abertos nas regiões de Saúde Sul e Oeste, que contemplam Gama, Santa Maria, Ceilândia e Brazlândia.

Ailane Silva, da Agência Saúde

<-Voltar