Pernambuco – Boletim informativo e-Trransitar 2º Quadrimestre de 2021

Ações de vigilância e enfrentamento aos acidentes de transporte terrestre da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco – 2º Quadrimestre/2021

Compreendendo os acidentes de transporte terrestre (ATT) como problema de saúde pública, sua magnitude no cenário atual de morbimortalidade da população e que demanda do poder público o desenvolvimento de intervenções para o seu enfrentamento, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) tem estruturado suas ações por meio da Vigilância Epidemiológica de Acidentes de Transporte Terrestre, da Operação Lei Seca e dos Comitês Estadual e Regionais de Prevenção aos Acidentes de Moto (OLS/CEPAM/CRPAM).

Consoante as diretrizes da Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências – PNRMAV, em virtude do incremento registrado no número de óbitos por ATT no estado, da necessidade de ampliar o conhecimento sobre as vítimas e as circunstâncias do evento para subsidiar as intervenções e a tomada de decisão, a SES-PE implantou em 1º de maio de 2010, a notificação compulsória dos casos de ATT como estratégia de Vigilância Sentinela. A Vigilância Sentinela de Acidentes de Transporte Terrestre (VIGSATT) ocorre por meio do registro dos casos dessas vítimas atendidas, em hospitais de referência em ortopedia/traumatologia, as Unidades Sentinela de Informação sobre Acidentes de Transporte Terrestre (Usiatt). Pernambuco conta com 17 Usiatt distribuídas no território do Estado.

Considerando o contexto da epidemia da Covid-19 e os seus impactos nos serviços de saúde e mobilidade urbana, em 2021, no âmbito da SES-PE, destacam-se as seguintes ações:

VIGILÂNCIA EM SAÚDE

  • Implementação do Plano de Qualificação do Sistema de Informação sobre Acidentes de Transporte Terrestre (PQS): Com o objetivo de monitorar a qualidade da informação da VIGSATT, são avaliados indicadores de completude, multiplicidade, homogeneidade e oportunidade por unidade sentinela de notificação, a partir dos quais são identificadas, com a equipe de vigilância epidemiológica hospitalar e a Gerência Regional de Saúde (Geres), possíveis dificuldades no processo da vigilância. Diante desse diagnóstico, elabora-se um plano de ação para reduzir ou sanar tais dificuldades. Nesse quadrimestre, foram realizadas 8 reuniões de monitoramento com os profissionais das Usiatt (Hospitais Regionais Rui de Barros Correia, Silvio Magalhães, Dom Moura, Professor Agamenon Magalhães, Belarmino Correia; Hospitais Otávio de Freitas, Miguel Arraes e Dom Helder Câmara);

  • Disseminação da informação: Produção de 1 boletim de morbimortalidade por ATT, ano de referência 2019 (disponível para consulta em https://tinyurl.com/BoletimATT19) e 4 informes epidemiológicos referentes às notificações de acidentados de transporte terrestre atendidos nas Usiatt (o informe dos casos atendidos entre janeiro e julho encontra-se disponível em https://tinyurl.com/InformeATTJanJul21);
  • Incorporação no Plano Estadual de Saúde da implantação dos Comitês Regionais de Vigilância do Óbito em 9 (nove) Regiões de Saúde do Estado, no período de 2020 a 2023.
  • Debate Virtual intitulado: “Respeito e responsabilidade no trânsito: Promovendo Saúde e Cultura de Paz”, como estratégia de mobilização para ações referentes ao Maio Amarelo. Contou com 58 participantes, abrangendo profissionais da saúde, trânsito e gestores de políticas públicas, assim como a comunidade em geral, que trabalha e tem aproximação com a temática. O debate foi gravado e pode ser acessado, a qualquer tempo, por meio do Canal do YouTube da Escola de Governo em Saúde Pública de Pernambuco (ESPPE/SES-PE) (https://www.youtube.com/watch?v=mUpZB7Gnqec).

  • Participação em 3 web-reuniões do Projeto enfrentamento à Morbimortalidade por AT – CONASS, com discussões sobre a importância da rede intersetorial, do Advocacy no enfrentamento à Morbimortalidade por AT e o compartilhamento de experiências exitosas dos estados.

OPERAÇÃO LEI SECA

  1. Realização de mais de 900 Operações de Fiscalização (blitz), distribuídas na capital, região metropolitana e interior do Estado, retirando das vias mais de 1.725 condutores alcoolizados;
  2. Realização de 147 ações educativas em empresas, escolas, bares e praias, por meio das equipes de orientação que são compostas por pessoas com deficiência (cadeirantes ou muletantes), vitimadas pela combinação de álcool e direção, com o objetivo de conscientizar os condutores sobre os riscos de dirigir após o consumo de álcool;
  3. Além das atividades rotineiramente desenvolvidas, houve intensificação das ações educativas e de fiscalização nas Gerências Regionais de Saúde do Interior do Estado com o maior número de notificações de vítimas de ATT, através do emprego permanente de equipes durante 30 dias corridos nessas regiões.

Fonte: SES/PE

<-Voltar