A febre Chikungunya é o tema do Ligado em Saúde, nesta quarta-feira (5), às 11h

Infectologista do INI/Fiocruz vai esclarecer dúvidas sobre a doença

O Ligado em Saúde desta quarta-feira (5) vai falar sobre a febre Chikungunya, às 11h, no Canal Saúde. A apresentadora Marcela Morato vai conversar sobre a doença, que começou a ter registros de transmissão dentro do país, com a infectologista do Laboratório de Doenças Febris Agudas do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), Otília Lupi.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 828 casos de Chikungunya já foram identificados no Brasil, sendo 39 importados e 789 casos autóctones, isso é, cuja transmissão aconteceu dentro do território nacional, em pessoas sem registro de viagens para países aonde se concentra a epidemia, como República Dominicana, Haiti, Venezuela, Ilhas do Caribe e Guiana Francesa. Até o momento, o maior número de casos, 458, foi registrado na Bahia. A equipe do programa esteve no município de Matozinhos, em Minas Gerais, onde foi identificado o primeiro casos  de transmissão autóctone da doença na Região Sudeste.

A Chikungunya tem sintomas parecidos com os da dengue, entre eles febre alta, dor muscular e nas articulações e dores de cabeça, e baixa letalidade. Os casos de morte são menos frequentes do que entre as vítimas da dengue. A forma de transmissão também é semelhante à da dengue. O vírus que causa a febre Chikungunya é transmitido pelo mesmo mosquito que serve de vetor para a dengue, o Aedes Aegypti, e também pelo Aedes Albopictus. A principal forma de prevenção é a mesma para ambas as doenças: evitar o acúmulo de água parada.

Esta edição do Ligado em Saúde vai discutir se é possível evitar o avanço da Chikungunya, explicar os riscos que corremos, esclarecer dúvidas sobre os sintomas, a transmissão e a prevenção da doença, e falar sobre as medidas que estão sendo tomadas pelas autoridades da área da saúde. Não perca!

Sobre o Ligado em Saúde

É um programa de entrevista e serviço sobre temas de saúde, voltado para o público em geral, apresentado por Marcela Morato. O ponto de partida são sugestões de pauta do público e o programa vai ao ar às segundas e quartas-feiras, de 11h as 11h30. Os assuntos abordados referem-se à promoção da saúde, prevenção e esclarecimento sobre doenças.

Participação do público
O programa é gravado, geralmente com uma ou duas semanas de antecedência. Os temas são divulgados nas redes sociais do Canal Saúde e o público pode enviar perguntas antecipadamente para os especialistas. Os espectadores também podem participar do programa sugerindo pautas a qualquer momento. Sugestões e perguntas para a produção devem ser enviadas através do e-mail ligado@canalsaude.fiocruz.br ou do telefone 0800 701 8122.  Você pode ainda interagir com o programa com comentários na Fan Page do Ligado em Saúde (www.facebook.com/ligadoemsaude) e do Canal Saúde (facebook/canalsaudeoficial) ou pelo Twitter (@canalsaude).

Como assistir
Internet: acesse www.canalsaude.fiocruz.br e clique na WEB TV, na página principal.
Televisão: parabólica digital (freqüência 3690) ou TVs parceiras de veiculação. Consulte a página Como Assistir no site do Canal Saúde. Os conselheiros de saúde em todo o Brasil podem assistir pela Oi TV, canal 910.

Saiba mais: www.canalsaude.fiocruz.br
Curta: http://www.facebook.com/canalsaudeoficial
Siga: https://twitter.com/canalsaude

Acesse o site www.canalsaude.fiocruz.br, acompanhe a programação completa da TV e assista também aos vídeos em nosso acervo. Faça a sua busca e programe-se para assistir quando quiser.

Mais informações:
Canal Saúde/Fundação Oswaldo Cruz
Assessoria de Comunicação – Gabriel Cavalcanti
gabrielcfonseca@gmail.com – 55 21 3194-7743

Coordenação – Ana Cristina Figueira

<-Voltar