Amazonas – Susam reestrutura atendimento ambulatorial para ampliar oferta de exames a usuários

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) está reorganizando a rede de laboratórios que atende aos usuários do SUS, reforçando as áreas de maior demanda da cidade. Como parte dessa ação, a partir de fevereiro, os usuários das policlínicas Gilberto Mestrinho (no centro) e Codajás (no bairro da Cachoeirinha), que utilizavam os laboratórios dessas unidades, com a oferta limitada de procedimentos, passarão a ser atendidos na rede de diagnóstico da Susam, que inclui serviços complementares conveniados.

A rede de laboratórios da Susam é formada por 33 unidades do estado e mais 10 conveniadas. Nos laboratórios da rede, a oferta é de uma média de 250 a 300 procedimentos bioquímicos. Nas duas policlínicas, este número era de aproximadamente 50 tipos.

O secretário estadual de Saúde, Pedro Elias, explica que os usuários das duas policlínicas faziam parte dos exames solicitados nas duas unidades e parte na rede de laboratórios, porque a oferta de serviços era limitada, no local.

O secretário informa que, com a requisição do médico, os pacientes atendidos nas policlínicas Gilberto Mestrinho e Codajás farão a marcação do exame normalmente, lá mesmo, por meio do Sistema de Regulação (Sisreg). No ato do agendamento, o usuário é informado sobre o serviço da rede em que será realizado o exame.

Não existe privatização- O secretário alerta para informações contraditórias e confusas sobre o assunto, que estão sendo divulgadas. Dentre elas, a de que os laboratórios estariam sendo privatizados. A informação não procede. Não há privatização de laboratórios em nenhuma unidade da rede estadual de saúde. Trata-se tão somente de um trabalho que é resultado do estudo que vem sendo realizado para melhorar o fluxo de atendimento à população, afirmou.

Com o reordenamento, haverá uma realocação dos recursos humanos que atuavam nos laboratórios das duas policlínicas, para unidades como a Fundação Hospital Adriano Jorge, maternidades e serviços de pronto-atendimento principalmente, nas zonas Norte e Leste, as mais populosas da cidade. Segundo ele, unidades como o Hospital Adriano Jorge, por exemplo, precisam ter a área ambulatorial reforçada, para fazer frente à expressiva demanda por serviços nesta área.

O secretário destacou que, em março, outro significativo reforço dos serviços ambulatoriais da rede estadual será dado pelo Hospital Delphina Aziz, que o governo vai inaugurar na zona Norte, e que dispõe de uma megaestrutura de apoio diagnóstico.

Fonte: SES/AM

Foto: internet

 

<-Voltar