Ceará – Estado é campeão de doadores efetivos no primeiro trimestre de 2014

O Ceará foi o estado com maior número relativo de doadores efetivos de órgãos e tecidos para transplantes no primeiro trimestre do ano. Com 29,3 doadores efetivos por milhão da população (pmp) nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2014, o Ceará superou Santa Catarina e o Distrito Federal, que terminaram os últimos dois anos à frente, e ganhou destaque no Registro Brasileiro de Transplantes (RBT), publicação da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos e Tecidos (ABTO). “O dado digno de nota é o resultado obtido pelo Ceará (29,3 doadores pmp) obtendo a melhor taxa do país, que era de Santa Catarina nos últimos anos”, destaca a primeira edição do RBT em 2014.

Fonte: ABTO – Associação Brasileira de Transplante de Órgãos

Para assumir a dianteira em doadores efetivos no primeiro trimestre do ano, o Ceará notificou no período 162 potenciais doadores – terceira maior notificação do país, depois de São Paulo, com 572, e Rio de Janeiro, com 225 notificações. No Brasil, foram 2.214 notificações de potenciais doadores, com efetivação de 609 doações – 27,6%. O Ceará conseguiu a efetivação de 38,2% de doações, com 62 doadores efetivos. “Neste trimestre, embora a taxa de notificação (46,4 pmp) tenha se mantido estável (queda de 0,2%), observou-se uma queda de 3,0% na taxa de doadores efetivos (12,8 pmp) e de 4,8% na de doadores com órgãos transplantados (11,9 pmp), à custa da diminuição de 3,5% na taxa de efetivação da doação (27,6%)”, analisa o RBT.

Com o aumento do número de serviços habilitados pelo Ministério da Saúde para realizar transplantes, de 19 para 34 entre 2010 e 2013, incluindo o Hospital Regional do Cariri (HRC), e atuação mais efetiva das Comissões Intra-hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT), o Ceará tem conseguido crescimento consistente da efetivação de doações nos últimos anos. No primeiro trimestre de 2012, o Estado foi o quarto do Brasil em doadores efetivos por milhão da população, com 17 doadores, depois de Santa Catarina (26,9), São Paulo (22,2) e Distrito Federal (21,8). Em todo o ano de 2012, o Ceará ficou em terceiro lugar, com 21,4 doadores efetivos pmp, atrás de Santa Catarina (26,4) e Distrito Federal (21,8).

Em 2013 a posição do Ceará não se alterou no trimestre e no ano. Entre janeiro e março do ano passado, o Distrito Federal registrou 28,0 doadores efetivos pmp, Santa Catarina 21,1 e Ceará 20,4. No ano, o Distrito Federal ficou com 33,1, Santa Catarina 27,2 e Ceará 22,2 doadores efetivos pmp. Em relação ao primeiro trimestre de 2013, a taxa de doadores efetivos do Ceará aumentou em 43,6%. “Deve-se salientar o contínuo crescimento do Ceará e do Distrito Federal (com suas particularidades), tanto nas taxas de doação, quanto nas de transplante, juntando-se a Santa Catarina, na vanguarda”, ressalta a publicação da ABTO.


O Ceará manteve no primeiro semestre de 2014 o primeiro lugar em transplantes de fígado do país, com 26,5 cirurgias pmp, à frente do Distrito Federal (18,7), São Paulo (14,9) e Santa Catarina (13,4). Em números absolutos, o Estado realizou 56 transplantes de fígados, número menor que o de São Paulo, que realizou 154 transplantes.

Assessoria de Comunicação da Secretaria da Saúde do Ceará
(85) 3101.5221/ 3101.5220
www.saude.ce.gov.br
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/saudeceara

<-Voltar