Com ideia da Bahia, Funesa pretende implantar aplicativo de combate ao Aedes aegypti

rogerioO diretor-geral da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), Adriel Alcântara, foi recebido nesta quarta-feira, dia  23, na sede da Secretaria de Estado de Saúde da Bahia (Sesab), em Salvador, pelo sub-secretário de gestão, Diego Alvarez. A visita foi para conhecer o aplicativo Caça Mosquito, desenvolvido pelo Governo do Estado da Bahia para intensificação do combate ao  Aedes aegypti, vetor que transmite a Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus.

“Queremos levar essa ideia inovadora  e moderna para Sergipe. Já temos a Brigada Itinerante, força-tarefa composta por agentes de combate a endemias que dão suporte aos municípios, e, agora, queremos desenvolver em nosso estado essa ferramenta de interação entre população e órgãos competentes”,  explicou Adriel.

Segundo Alvarez, a Sesab está disposta  a contribuir com a parceria para que o aplicativo consiga cada vez mais se expandir. “A nossa iniciativa tem esse propósito. Está tudo à disposição de todos os estados. Chegará um momento que precisará de infraestrutura, e estamos à disposição em viabilizar  essa relação junto com a nossa Prodeb [Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia]. Quanto mais pessoas estiverem usando nossa ferramenta, melhor ainda”, disse.

De acordo com Rogério Velame, da Diretoria  de Modernização Administrativa (DMA), da Sesab, o aplicativo usado na Bahia mapeia zonas com focos do mosquito utilizando o GPS do próprio smartphone. Os usuários fotografam e informam locais com possíveis criadouros do Aedes aegypti. As informações coletadas  são transmitidas para os órgãos municipais competentes para que sejam tomadas as devidas providências.

Após baixar o aplicativo, disponível  para plataformas iOS, Android e Windows Phone, o usuário já está apto a contribuir com informações enviadas diretamente à Secretaria de Estado de Saúde. “Depois de baixar, ele vai publicar sua denúncia. Ele vai tirar uma foto – o aplicativo tem acesso à câmera  -, e, num campo abaixo, ele vai descrever qual a situação que ele encontrou. Depois é só clicar em enviar”, detalhou Velame.

De acordo com o diretor-geral da Funesa,  a intenção é desenvolver o aplicativo em Sergipe já no início do próximo ano para que a população possa usá-lo ainda durante o verão, época em que se tem que redobrar a atenção e o combate ao Aedes aegypti. O objetivo também é fazer com que o serviço facilite  o trabalho do agente na Brigada Itinerante e ajude o Governo do Estado a desenvolver ações específicas em localidades e realidades diferentes.

Por Ítalo Duarte

Assessor de Comunicação/FUNESA

<-Voltar