Conass e Conasems promovem curso para reforçar atuação de agentes comunitários na Covid-19

Eles conhecem como poucos as características das pessoas que moram na região, as necessidades específicas das famílias que ali vivem, suas fragilidades e os fatores de  proteção. Justamente por isso, têm um valor inestimável na prevenção de casos de Covid-19, na identificação de casos, no rastreamento de contatos e no encaminhamento, quando necessário, às Unidades Básicas de Saúde. Agentes comunitários de saúde e agentes comunitários de endemias, uma força de trabalho que alcança mais de 300 mil profissionais, deverão receber a partir do próximo mês um curso de capacitação para reforçar o conhecimento sobre a doença, as novas formas de atuação para ajudar no controle da pandemia e como garantir a saúde das pessoas que estão na área sob sua atuação. O curso a distância é uma iniciativa conjunta do Conass e Conasems e foi um dos temas do Debate Virtual realizado nesta sexta, com transmissão pelo Youtube. 

Mediado pela assessora técnica do Conass, Maria José Evangelista, o evento contou com a participação da coordenadora de gestão da Atenção Primária da Secretaria Estadual da Saúde do Mato Grosso, Regina Paula de Oliveira, dos agentes comunitários Djavan Barbosa dos Santos (que atua em Poço Verde, Sergipe), Sílvia Maria Dias (que atua em Pimenta Bueno, Rondônia) e Ludielle Medeiros Ramos (de Gameleira, Goiás). O debate também teve a participação da secretária municipal de Saúde de Ubiratã, no Paraná e vice-presidente do Conasems, Cristiane Martins Pantaleão.

Conass, Conasems e Agentes Comunitários de Saúde debatem a atuação destes profissionais no enfrentamento da Covid-19

“O treinamento vai trazer informações sobre como fazer o rastreamento de novos casos, como trabalhar na comunidade em tempos de Covid-19 e como acompanhar pacientes com problemas crônicos”, disse Maria José, durante o evento. Regina ressaltou que agentes conhecem bem a população, onde estão os idosos, as gestantes, as pessoas com condições crônicas. Um dos pontos considerados importantes na capacitação é a busca ativa de casos suspeitos e a orientação para o isolamento dos contatos, com a finalidade de quebrar a cadeia de transmissão, bem como o monitoramento de pessoas com alguma condição crônica, e assim evitar quadros de agravamento de algum problema de saúde.

O curso também vai abordar a orientação para famílias no caso de um dos integrantes estar com suspeita da doença. “Nesses novos tempos, as atividades terão de ser feitas com criatividade. Temos de experimentar”, disse Regina.

O agente comunitário Djavan contou da importância de ter uma boa gestão da base populacional e quanto isso auxilia na programação do trabalho. “Saber onde estão as pessoas com mais vulnerabilidade ajudou.” Ludielle, por sua vez, lembrou que o trabalho dos agentes não raramente vai além do que está determinado nos formulários. “Muitas vezes, eles querem, além da entrega do medicamento, alguém para conversar.” A agente comunitária reforçou a avaliação de Regina sobre a necessidade de adaptação. De acordo com ela, com a pandemia, o roteiro dos agentes de saúde foi acrescido de vários itens, mas os antigos permanecem. Silvia, por sua vez, afirmou que um dos recursos essenciais foi a estratificação de risco. “Com isso, conseguimos identificar as prioridades”, disse.

Cristiane Pantaleão ressaltou a necessidade de se organizar uma rede de estratégias para se chegar à população, melhorar de forma permanente a forma de cuidado. “É preciso ter em mente que cerca de 85% dos casos de Covid-19 serão atendidos na rede primária”, lembrou. E mesmo pacientes que forem encaminhados para cuidado hospitalar, uma vez recuperados, voltarão para a atenção primária. O curso organizado pelo Conass e Conasems será feito por reuniões por vídeo. Um acordo assinado semana passada com a zoom,  permitirá que até 30 mil equipes de APS façam o curso de forma simultânea.

Ascom Conass

ascom@conass.org.br

(61) 3222-3000

<-Voltar