Expoepi proporciona troca de experiências exitosas em saúde

Começou a 12ª Mostra Nacional de Experiências Bem Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi). E durante a abertura oficial, que aconteceu na noite desta terça-feira (16), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, destacou a importância do evento para a saúde brasileira. “A Expoepi é um momento de grande expectativa, onde é possível trocarmos experiências desenvolvidas em todo o País para melhorar a saúde da nossa população”, ressaltou.

Em sua fala de abertura, o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, disse que esta é a maior edição da Mostra. “São mais de três mil pessoas inscritas, representando um crescimento em mais de 10 vezes, desde a primeira edição, e mais de 20 painéis de discussão e atualização daqueles que trabalham na área da saúde, além da mostra competitiva, com trabalhos das secretarias de saúde de todo o Brasil”, enfatizou Barbosa.

Na edição deste ano houve um recorde de trabalhos inscritos: 805 experiências e trabalhos técnico-científicos que serão premiados nas diferentes áreas constitutivas da vigilância em saúde. Na sexta-feira (19), último dia da Expoepi, cada experiência vencedora das dez grandes áreas receberá o prêmio de R$ 50 mil. Já os melhores trabalhos de especialização, mestrado e doutorado ganharão, respectivamente, R$ 6 mil e R$ 9 mil e R$ 12 mil. “Esta é a oportunidade dos gestores, estudantes, pesquisadores e profissionais da saúde debaterem e avaliarem a situação da saúde do País, sob a perspectiva de risco ou não de novos agravos”, afirmou Padilha.

Humberto Costa, senador da república e ex-ministro da Saúde, também participou da solenidade. “Já tive oportunidade de participar de vários eventos da Expoepi em outros momentos, e cada vez o que observamos, é um crescimento no número de participantes e qualidade dos projetos apresentados”, relatou.

Homenagem – Durante a solenidade, cinco profissionais da epidemiologia foram homenageados pelos trabalhos desenvolvidos em prol da Saúde Brasileira: José Cássio de Moraes, pioneiro no enfrentamento da meningite no país; Maria Inês Schimdt, participante do Estudo Brasileiro de diabetes Gestacional; Moysés Szklo, coordenador do Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes; Luiz Augusto Facchini, responsável pelo curso de Saúde da Família na Universidade Federal de Pelotas (RS), e a enfermeira e epidemiologista Marlene Tavares Barros de Carvalho, que em 2007 chefiou a Campanha Nacional de Vacinação contra a Rubeóla, culminando na imunização de 97 milhões de pessoas.

Novidades – A Expoepi 2012 traz ainda grandes novidades, como as exposições: “Percurso Histórico das Ações de Vigilância, Prevenção e Controle de Doenças no Brasil” e o “Novo Festival Internacional de Humor e Arte em Aids”. A exposição pretende abordar a saúde como uma dimensão da vida humana e social que transcende em muito os aspectos puramente médicos e biológicos. Já o Festival de Humor e Arte em Aids tem como meta incentivar a produção de obras criativas para a promoção de estilos de vida saudáveis relacionados ao HIV/AIDS.

Durante a semana, também está previsto o lançamento da nova edição do Saúde Brasil – uma análise geral da situação de saúde do brasileiro, desde o nascimento até a morte. A publicação, produzida pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde apresenta indicadores demográficos e epidemiológicos e demonstra tendências que poderão subsidiar a definição de novas ações estratégicas e políticas públicas de saúde.

Ilana Paiva / Blog da Saúde

Foto: Erasmo Salomão – Ascom/MS

<-Voltar