Ministério da Saúde e UNA-SUS abrem nova turma para curso de Saúde da População Negra

Módulo é voltado a todas as categorias de profissionais de saúde, além de interessados no tema

O Ministério da Saúde e a Universidade Aberta do SUS (SE/UNA-SUS) lançaram uma nova oferta para o curso Saúde da População Negra nesta segunda-feira, 3 de agosto. Os conteúdos promovem o debate sobre o racismo institucional, além de trazer informações gerais sobre a população negra, sua cultura e práticas tradicionais de saúde.

O módulo em educação a distância é voltado a todas as categorias de profissionais de saúde, além de demais interessados no tema. Composto por três unidades e com carga horária de 45 horas, o curso utiliza a modalidade do ensino a distância e é autoinstrucional. Para se matricular, clique aqui.

Acesse a página do curso: http://www.unasus.gov.br/populacaonegra

O objetivo é ofertar aos profissionais de saúde oportunidade para refletir e atuar na perspectiva do cuidado centrado na pessoa e na família, visando a melhoria da qualidade de atendimento e a redução das desigualdades, alinhando-se aos princípios do Sistema único de Saúde (SUS) e da Política Nacional Integral da População Negra (PNSIPN).

Recordista no número inscrições desde o lançamento, em 22 de outubro de 2014, o curso obteve um total de 6.672 matrículas. O estado com maior número de inscritos foi São Paulo, com 468, seguido da Bahia, com 361, e de Minas Gerais, com 276. Os alunos matriculados na primeira turma terão até o dia 9 de agosto de 2015 para acessar o ambiente de estudos e concluir as atividades do curso.

ENFRENTAMENTO AO RACISMO INSTITUCIONAL – Para a diretora do Departamento de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (DAGEP), Kátia Souto, o curso dá visibilidade à questão do racismo, presente na sociedade brasileira e expresso de diversas formas, inclusive no SUS. “Enfrentar esse debate e refletir sobre o racismo institucional é o grande desafio desse curso”, afirma.

Para Souto, o recorde de inscrições reflete o interesse em debater sobre racismo, conhecê-lo, refletir sobre ele e até mesmo transformar as práticas no cotidiano do atendimento ou mesmo da gestão do SUS. “Isso é fundamental. Ao plantar essa semente, poderemos colher também os frutos, que são a redução do preconceito e a discriminação no nosso país e também no SUS”.

Para o secretário executivo da UNA-SUS, Francisco Campos, por tratar de temas como o racismo institucional, à luz da PNSIPN, o curso é de enorme importância para o Sistema Único de Saúde. “Os objetivos educacionais do curso fazem dele um poderoso instrumento para os profissionais de saúde e para a sociedade em geral”.

PARCERIAS – A iniciativa do curso de Saúde da População Negra é do Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP). A produção é da SE/UNA-SUS, com a colaboração dos Departamentos de Apoio à Gestão Participativa (DAGEP/SGEP) e de Gestão da Educação em Saúde (DEGES/SGETS).

Relembre no vídeo o lançamento da primeira turma do curso.

Com informações da UNA-SUS

<-Voltar