Ministério da Saúde reforça alerta sobre os riscos de beber e dirigir

A Lei que proíbe beber antes de dirigir está em vigor no Brasil desde 2008. Mesmo assim, ainda existe gente que bebe e pega o volante. Segundo levantamento do Ministério da Saúde feito em 2010, 15 por cento dos pacientes que sofreram acidentes no trânsito disseram que beberam antes de dirigir.

Para a coordenadora da Área Técnica de Vigilância e Prevenção de Violências e Acidentes do Ministério da Saúde, Marta Silva, qualquer quantidade de bebida alcoólica é suficiente para colocar as pessoas em risco no trânsito.”Toda bebida tem uma interação, uma interferência, que depende do peso. Essa que só foi uma tacinha, só foi uma latinha, não vale. Estamos falando de vida, estamos falando de prevenção, e a recomendação é: independentemente da quantidade, não dirigir depois de beber. ”

A servidora pública Gabriela Drumond sabe bem disso. Ela fez um acordo com o marido para garantir a diversão nos finais de semana, sem abrir mão da segurança. ”Desde que a gente começou a namorar que o acordo é este: quando um bebe o outro dirige e quando os dois bebem a gente pega um táxi.  Preferimos garantir a nossa segurança do que correr o risco de ser parado, de perder carteira e ser penalizado por conta da lei seca.”

A coordenadora da Área Técnica de Vigilância e Prevenção de Violências e Acidentes do Ministério da Saúde, Marta Silva, falou também sobre o apoio do Ministério da Saúde à fiscalização prevista pela Lei, incluindo os testes de bafômetro.

” É lei seca mesmo, é tolerância zero, alcoolemia zero, se beber qualquer quantidade não dirigir, e para isso, o Vida no Trânsito, trabalha nos municípios, nas capitais e estados, com setores como batalhão de transito, com Detran, justamente nessa parceria de ações de implementar as ações de fiscalização de uso de bafômetro, de controle de velocidade, associando toda uma mudança de comportamento, fiscalização e controle. ”

Ouça a matéria da Web Rádio Saúde

Baixar arquivo mp3

O Projeto Vida no Trânsito do Ministério da Saúde foi criado há dois anos para contribuir com a segurança no trânsito e assim reduzir o número de mortos e feridos. Em setembro, o Governo Federal repassou mais de 12 milhões de reais para todos os estados e o Distrito Federal fortalecerem a vigilância e a prevenção nas ruas e estradas.

Fonte: Débora Rocha / Web Rádio Saúde

<-Voltar