Ministro da Saúde visita Hospital da Criança de Brasília

visita_hospital_criancaA unidade é especializada no atendimento pediátrico e atende 100% pelo SUS. Em 2016, foram realizados 1,4 mil procedimentos, entre laboratorial e internação

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitou nesta quarta-feira (11) as instalações do Hospital da Criança de Brasília José de Alencar, unidade que é referência na capital do país no atendimento público especializado em pediatria. Em 2016, a pasta repassou R$ 6,7 milhões para o custeio de 1,4 mil atendimentos, entre procedimentos ambulatoriais (exames e consultas) e internações, realizados pelo Hospital da Criança. O Ministério da Saúde também está liberando R$ 214,8 milhões ao Distrito Federal para o custeio de outros serviços, resultado da economia de R$ 1,9 bilhão em 200 dias de gestão.

“O Ministério da Saúde tem convênio com o Hospital da Criança, com saldo de R$ 4 milhões para a compra de equipamentos para o Bloco II da unidade. O novo espaço está sendo construído em grande velocidade, pelo Governo do Distrito Federal em parceria com a Organização Mundial da Família. Esse trabalho conjunto do governo com a sociedade organizada tem permitido esse atendimento maravilhoso a essas crianças que tanto necessitam de carinho e atenção quando estão fazendo seu tratamento de câncer”, afirmou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Acompanhado do governador Rodrigo Rollemberg, o ministro participou de reunião com a direção do hospital, e em seguida visitou as instalações do Bloco I, como a área ambulatorial, sala de imagens, internação e a Unidade de Terapia Endovenosa. O ministro verificou ainda as obras do Bloco II. O segundo prédio da unidade, que está em construção, terá dois pavimentos, com 202 leitos, sendo 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 18 de cuidados intermediários, além de um Centro Cirúrgico e um Centro de Ensino e Pesquisa.

“O Bloco II, do Hospital da Criança, é um sonho que está se tornando realidade. Quando a unidade estiver pronta, serão 204 novos leitos de pediatria, sendo 40 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica, que vai dar conta de praticamente toda a demanda de alta e média complexidade do Distrito Federal, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Queremos ampliar o atendimento mesclando diversos modelos e garantido à população um atendimento melhor a sua saúde”, ressaltou o governador do GDF, Rodrigo Rollemberg.

Inaugurado em 2011, o Hospital da Criança José de Alencar oferece serviços de procedimentos eletivos e ambulatoriais de média e alta complexidade para tratar crianças e adolescentes em quase todas as especialidades pediátricas. As especialidades são alergista, anestesiologia, cardiologia, cirurgia pediátrica, dermatologia, endocrinologia, gastroenterologia, genética clínica, ginecologia infanto-puberal, homeopatia, imunologia, infectologia, nefrologia, neurocirurgia, neurologia, oncohematologia, ortopedia, pneumologia, psiquiatria e reumatologia

Atende também em hemodiálise, diálise peritoneal, fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, musicoterapia, terapia ocupacional, odontologia, farmácia, nutrição, enfermagem e serviço social, exames laboratoriais e de imagem, Endoscopia Digestiva Alta e Colonoscopias, entre outros. Em 2016 (até novembro), o Hospital da Criança de Brasília José de Alencar registrou 827 internações e 660.495 procedimentos ambulatoriais, a um custo de R$ 6,75 milhões.

GESTÃO EFICIENTE – O Ministério da Saúde vai liberar R$ 962,3 milhões para o funcionamento de mais 1.966 serviços na rede pública de saúde do país. A medida garante o atendimento da população em unidades que estavam em atividade sem contrapartida federal, sobrecarregando estados e municípios. Isso foi possível com ações voltadas à otimização dos gastos públicos, prioridade da gestão do ministro Ricardo Barros. Em 200 dias à frente da pasta, foi alcançada eficiência econômica total de R$ 1,9 bilhão, verba utilizada na ampliação da assistência no SUS.

Deste montante, serão destinados para o Distrito Federal, R$ 214,8 milhões, sendo R$ 204,6 milhões em valores empenhados de emendas parlamentares e R$ 10,2 milhões anual para custeio de oito serviços, como oficinas ortopédicas, reajuste da tabela de procedimentos e serviços de oncologia, que aguardavam recurso do Ministério da Saúde. O repasse é anual e garantirá a manutenção das unidades.

LISTA DOS MUNICÍPIOS CONTEMPLADOS – CUSTEIO DOS SERVIÇOS

MUNICÍPIO

SERVIÇO

GESTÃO

IMPACTO ANUAL

BRASILIA CAPS ESTADUAL R$ 385.560,00
DOENÇAS RARAS ESTADUAL R$ 4.025.760,00
DISTRITO FEDERAL CAPS ESTADUAL R$ 1.260.000,00
INCLUSÃO/REAJUSTE PROCEDIMENTOS TABELA ESTADUAL R$ 1.428,00
OFICINA ORTOPEDICA ESTADUAL R$ 648.000,00
TABELA REAJUSTE PROCED. MEDIA COMPLEX ONCOLOGIA ESTADUAL R$ 602.960,44
DISTRITO FEDERAL TABELA REAJUSTE PROCED. MEDIA COMPLEX ONCOLOGIA ESTADUAL R$ 193.851,00
TAGUATINGA SERVIÇO – ONCOLOGIA ESTADUAL R$ 3.090.693,10
Total Geral R$ 10.208.252,54

LISTA COM RECORTE DOS MUNICÍPIOS/ESTABELECIMENTOS

MUNICÍPIO

ESTABELECIMENTO

GESTÃO

IMPACTO ANUAL

BRASILIA CAPS I ESTADUAL R$ 385.560,00
HOSP. DE APOIO DE BRASÍLIA ESTADUAL R$ 4.025.760,00
DISTRITO FEDERAL CAPS AD III ESTADUAL R$ 1.260.000,00
OFICINA ORTOPEDICA DO DF ESTADUAL R$ 648.000,00
TAGUATINGA HOSPITAL REGIONAL DE TAGUATINGA ESTADUAL R$ 3.090.693,10
Total Geral R$ 9.410.013,10

Por Fábio Ruas, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa – Ascom/MS
(61) 3315-3580/3713

<-Voltar