Pará – Belém sedia X Congresso Internacional de Odontologia da Amazônia

O secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, participou, na noite desta quinta-feira (27), no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, da solenidade de abertura do X Congresso Internacional de Odontologia da Amazônia (Cioa), promovido pela Associação Brasileira de Odontologia (ABO-PA).

Ele representou o governador Simão Jatene, que foi homenageado com diploma de honra ao mérito e a medalha “Fernão Flexa Ribeiro”, em reconhecimento pelos bons serviços prestados à classe odontológica paraense e brasileira. As honrarias foram entregues pela presidente da ABO-PA, Lucila Pereira; e pelo presidente do X Cioa, João Evandro Miranda. Também receberam homenagem o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, representado pelo coordenador nacional de Saúde Bucal, Gilberto Pucca; e o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, representando pelo secretário municipal de Saúde da capital, Yuji Magalhães Ikuta.

O evento contou com a presença do presidente da ABO Nacional Luiz Fernando Varrone; do presidente do Conselho Regional de Odontologia (CRO-PA), Roberto Pires, do representante do Conselho Federal de Odontologia (CFO), Messias Gambôa; da representante da Assembleia Legislativa do Estado, Josefina Carmo; além de outras autoridades, que compuseram a mesa.

Com o tema central “Ciência, Gestão e Abordagem Multiprofissional”, o objetivo do evento é atualizar profissionais de Odontologia e promover o congraçamento da categoria, assim como a troca de experiências entre palestrantes e participantes.

Helio Franco afirmou que a Saúde Bucal está inserida na Atenção Primária e é uma das prioridades deste governo, no entanto, admitiu que muitos municípios ainda estão longe do desejável no que tange aos serviços oferecidos à população, mas que o governo está trabalhando para reverter a situação, como por meio da Planificação da Atenção Primária no Estado, capacitando profissionais dos municípios para melhorar a APS e reduzir as demandas para a alta complexidade.

Ao contrário do que muitos pensam, fazer atenção primária não é fácil, pois apesar da baixa tecnologia empregada, o que faz alguns gestores darem menos importância à área, ele deu como exemplo a dificuldade que os profissionais têm de convencer um hipertenso assintomático a tomar medicação diariamente.

Para o secretário estadual, um dos problemas é a falta de financiamento para o setor. “Apesar de o Brasil ser a sexta economia do mundo, apenas 4% do PIB vai para a saúde”, observou.

Por fim, desejou sucesso e que “o evento possa resultar em propostas para a melhoria da saúde bucal no Pará e na Amazônia”.

O presidente da ABO Nacional, Luiz Fernando Varrone disse que estava ali para “reverenciar a garra, o entusiasmo, a perseverança e o comprometimento com a classe e com a Odontologia como um todo, de toda a Diretoria da ABO-PA, capitaneados pela querida Dra. Lucila”, e comentou sobre a dificuldade e preocupação pelas quais a equipe passou para realizar o evento. “Tenho certeza que está fadado ao sucesso”, comemorou e agradeceu ao governo do Estado e à Prefeitura de Belém os apoios recebidos.

Ele também falou sobre o tema escolhido “Ciência, Gestão e Abordagem Multiprofissional”, que, “mostra claramente que se foi o tempo em ficávamos presos em nossas salas preocupados somente com os dentes dos pacientes, nos dias atuais, temos que nos atualizar cada vez mais e nossas ABOs estão aí para isso, temos que deixar o amadorismo de lado e seguirmos rumo à profissionalização da administração dos nossos consultórios e, principalmente, precisamos estar em sintonia com nossos colegas da área da saúde, nos preocupando em cuidar dos pacientes como seres únicos e indivisíveis, sabedores de que não podemos tratá-los como se fossem partes de um organismo e sim como um todo”.

A presidente da ABO-PA, Lucila Pereira, deu boas vindas a todos e também teceu comentários sobre o tema do Congresso. Ela disse que foi uma escolha primorosa, pois a Ciência, Gestão e Abordagem Multiprofissional são os grandes desafios que se interpõem hoje nas ciências da saúde. “A Odontologia brasileira tem se posicionado na sociedade de maneira cada vez mais propositiva. Busca se fazer presente e muitas vezes imprescindível na abordagem multiprofissional. Nosso respeito por parte da sociedade vem dessa postura que cada profissional, cada entidade de classe ou de formação profissional tem demonstrado nos últimos anos. No entanto, os desafios nos são interpostos e por vezes, fica difícil abarcar tanta produção científica e inovação tecnológica, verificadas em todos os campos da saúde bucal. Tudo isso implica em um esforço gigantesco de integração de informação e cuidados quando queremos fazer repercutir esses avanços na abordagem daqueles que nos procuram”, explicou.

O presidente do X Cioa, João Evandro, deu boas vindas a todos os participantes do evento tradicional da ABO-PA, que permite o aprimoramento profissional e congraçamento da categoria.

Ele agradeceu pela indicação do seu nome para presidir o Congresso e a todos que trabalharam com empenho e generosidade para sua realização. “Pois me deram enorme testemunho de solidariedade entre amigos. Hoje somos o resultado da confiança e da força de cada um de vocês”, afirmou.

João Evandro explicou que a comissão organizadora procurou agregar a necessidade da excelência dos procedimentos por meio de abordagens que vão desde os posicionamentos políticos na saúde pública, perpassam pela ética, estética, dor, biotecnologia e tingem patamares mais ousados como é o caso da Odontologia Hospitalar. “Assim, procuramos contemplar os desafios de uma Odontologia atual, que busca oferecer o equilíbrio entre qualidade dos procedimentos e o pleno acesso aos serviços”.

A programação prossegue até este sábado (29) com cursos, workshops, e eventos paralelos como o V Encontro sobre Câncer de Boca, que será realizado, neste sábado, das 8h às 16h; além da apresentação de trabalhos científicos em forma de e-pôster, fórum científico, fórum clínico, tema livre e painel.

Texto: Roberta Vilanova

<-Voltar