Roraima – Oficina foca na melhoria do atendimento nos postos de saúde

O Núcleo de Ações Programáticas da Saúde da Pessoa Idosa (NAPSPI) percorre os municípios do estado com séries de oficinas técnicas. O foco é discutir sobre a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa e apontar estratégias para melhorar o atendimento aos usuários da terceira idade. Durante a realização das oficinas, os municípios receberão cadernetas de saúde para uso dos idosos.

A próxima visita acontece na terça-feira, 2, no município de Mucajaí, e no dia 8, em Alto Alegre. O treinamento é destinado aos profissionais da Atenção Básica e Programa da Saúde da Família. Ainda no mês de julho, tem previsão de visitar os quatro municípios do sul do estado.

A oficina dura em média, 4h, e foca sobre a implementação da caderneta de saúde da Pessoa Idosa nos municípios. Serão entregues mais de cinco mil cadernetas em todo o estado, sendo que já foram entregues cerca de 1.500. Os municípios que já receberam os exemplares com nova versão atualizada foram Alto Alegre, Iracema, Mucajaí Caracaraí.

Procura-se discutir com os participantes, a importância em melhorar o atendimento de pacientes com mais de 50 anos, e sempre atualizar a caderneta dos usuários. Ou seja, anotar desde medicação, o tipo de atendimento, se já foi vítima de violência, registrar ocorrências de quedas, entre outros agravos. Sobretudo, é ressaltada à necessidade da notificação no Sistema do Ministério da Saúde do atendimento realizado.

O clínico-geral, Hugo Souza, familiarizado com a questão, pois atende há tempos pessoas idosas, acompanha a equipe técnica e promove palestras sobre envelhecer com saúde, às síndromes geriátricas como hipertensão, diabetes.

Mária Cruz, técnica do NAPSPI, da Secretaria de Estado da Saúde, destacou que a motivação é a chave para que equipes de saúde atuem com mais interesse. “Espero que os municípios façam como alguns outros que estão implantando nas Secretarias Municipais um núcleo de referência da saúde do idoso”, comentou.

A técnica acredita, quando as equipes de saúde acompanham de perto o idoso, promovendo ações de prevenção, os pacientes terão uma qualidade de vida mais prolongada. “É necessário considerar que muitas das alterações que ocorrem com a pessoa idosa são decorrentes do processo natural de envelhecimento”, frisou.

CADERNETA

Em posse dela, o paciente terá registrada informações importantes sobre sua saúde, tais como controle de peso, glicemia e medicação utilizada. A publicação foi reformulada e atualizada no ano passado, e serve como uma ferramenta de identificação de situações de risco potenciais para o idoso. Por exemplo, deve-se registrar se o idoso caiu alguma vez no ano. Se ele caiu mais de uma vez, é preciso planejar e organizar as ações de promoção, recuperação e manutenção da capacidade funcional.

Celton Ramos/Sesau
ASCOM SESAU (95) 2121-0507

 

<-Voltar