SES e municípios definirão estratégias para reduzir óbitos materno, infantil e fetal

SES/GO

A cidade de Anápolis será sede da I Oficina de Vigilância do Óbito para Intervenção em Saúde, organizada pela Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual (SES-GO). O evento terá como palestrantes técnicos do Ministério da Saúde (MS) e será realizado nos dias 21 e 22 de março, no Hotel Estância Parque (BR-414, Km 2, saída para Corumbá). A abertura acontece às 8h30 de quinta-feira (21).

A oficina é uma das estratégias definidas entre a SES e o MS com a finalidade de promover a intervenção em saúde com base nos dados da investigação nos principais municípios goianos com ocorrência de óbitos materno, infantil e fetal. Os participantes serão capacitados sobre a investigação dos óbitos de acordo com as portarias ministeriais GM 1.119 e 72, que estabelecem os fluxos e prazos. Participarão do treinamento, profissionais responsáveis pela Vigilância do Óbito das Regionais de Saúde e técnicos das Secretarias Municipais de Saúde dos principais municípios com ocorrência de óbito – Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Catalão e Caldas Novas.

Simone Resende de Carvalho, coordenadora da Vigilância do Óbito da SES e dos Sistemas SIM (mortalidade) e SINASC (nascidos vivos), destaca a importância do evento: “Além de ser a primeira oficina de Vigilância do Óbito, o principal objetivo será que Goiás promoverá as estratégias para diminuir os óbitos”.

Entre os temas que serão abordados nos dois dias da oficina estão: Mortalidade Materna e Infantil no Brasil avanços e desafios; Experiência da Vigilância do Óbito da 2ª Regional de Saúde no Estado do Paraná; Oficina de Vigilância do Óbito de Investigação do Óbito Materno, Infantil e Fetal para Intervenção em Saúde SES-GO; Correção dos sub-registro de óbitos infantis no estado de Goiás; Experiência sobre Vigilância do Óbito no Estado do Rio Grande do Sul; e Uso das Informações do Módulo da Materna para aprimorar as informações de mortalidade materna no SIM.

Mortalidade em Goiás
Em 2012, foram registrados no Estado 44 óbitos por mortes maternas declaradas e 2.348 óbitos fetais e infantis até 4 anos de idade. A Lista Brasileira para Classificação dos Óbitos Evitáveis em menores de cinco anos aponta entre as causas poupáveis as ações de imunoprevenção, adequada atenção à mulher na gestação e parto e ao recém-nascido, ações adequadas de diagnóstico e tratamento e ações adequadas de promoção à saúde.

<-Voltar