SES/SE – Dia nacional contra Zika Zero mobiliza 526 militares em Sergipe

Ministro da Integração, Gilberto Occhi, e o governador em exercício, Belivaldo Chagas participaram da ação em Aracaju

O Dia Nacional de Mobilização Zika Zero, de combate ao mosquito Aedes aegypti, responsável por transmitir Dengue, Chinkungunya e o Zika vírus, chegou a Sergipe neste sábado, 13, e em sua abertura contou com a presença do ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e do governador em exercício, Belivaldo Chagas, que estiveram presentes na sede do 28° Batalhão de Caçadores (BC). A ação, organizada pelo Governo Federal e coordenada pelo Exército, tem como objetivo orientar a população sobre como se prevenir contra o mosquito e eliminar seus focos. Para isso, foram destinados para cinco municípios (Aracaju, Itabaiana, Lagarto, Estância e Nossa Senhora da Glória) 526 militares. Participam também 67 membros da Marinha e 40 da Aeronáutica. Para Aracaju são 493 integrantes do Exército, além do efetivo das demais Forças Armadas.

Para o ministro Gilberto Occhi, a ação deste sábado é uma continuidade às iniciativas que já foram implementadas no sentido de combater o mosquito. “O Dia Nacional Zika Zero está voltado para atuação das Forças Armadas, que se aliam a equipes de agentes de saúde e endemias e ainda aos profissionais dos municípios e Estado que já estavam trabalhando. Estamos atuando em uma ação de conscientização e mobilização da população brasileira e esperamos que possamos sensibilizá-la da importância de manter limpos locais que possam se tornar foco de criação do Aedes”.

O Dia Nacional contra a Zika foi instituído pelo Governo Federal para que as Forças Armadas atuem em conjunto com as autoridades locais dos estados no enfrentamento ao mosquito. A iniciativa envolve 220 mil homens e mulheres das Forças Armadas (160 mil do Exército, 30 mil da Marinha e 30 mil da Força Aérea), que distribuem neste sábado material impresso com orientações para combater o Aedes. A ação ocorre em mais de 350 municípios, incluindo todas as capitais. A expectativa é visitar 3 milhões de residências e entregar cerca de 4 milhões de panfletos informativos.

O governador em exercício, Belivaldo Chagas, destacou que o trabalho em conjunto é essencial para combater o Aedes aegypti, e que são necessárias ações constantes de mobilização. “O objetivo é fazer com que população compreenda que só vamos vencer essa batalha se todos estiverem conscientizados que temos que eliminar o mosquito. O Governo do Estado já tem se sensibilizado nesse sentido, e, no decorrer dessa semana, houve até uma reunião entre as secretarias de Estado da Saúde e Educação para que as escolas sejam mobilizadas nesse combate também. Afinal de contas, se envolvermos apenas os alunos, já serão mais de 170 mil”, disse.

Junto com profissionais dos estados e municípios, os membros das Forças Armadas seguiram até as ruas, e nas casas que estavam vazias, o material informativo foi deixado nas caixas de correspondência. Já em estabelecimentos comerciais, os donos receberam orientação para fixar cartazes em locais visíveis e de fácil acesso.

E foi isso que aconteceu em Aracaju. Acompanhados do ministro da Integração, governador em exercício e do prefeito municipal, militares do Exército e agentes de endemias e saúde visitaram imóveis, conversaram com moradores e comerciantes, e deram instruções de como proceder para combater o vetor da Dengue, Chikungunya e Zika.

Na casa da moradora do bairro Getúlio Vargas, Maria José Ferreira, eles visualizaram se havia pontos com água parada ou que pudessem se tornar criadouros do mosquito. A senhora aprovou a visita e contou quais os cuidados que toma para afastar o Aedes aegypti. “Não tenho planta com água e até o tanque de lavar roupa deixei de encher. Além disso, apanho as garrafas e tampinhas, coloco num saco e ponho no lixo. Essas são as medidas que adoto e todo mundo deveria fazer o mesmo”, orientou.

Novas ações

Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, haverá uma nova ação de combate ao foco dos mosquitos com a participação de 50 mil militares que estão sendo treinados para atuar nas regiões a serem indicadas pelas prefeituras e pelo Ministério da Saúde. Essa ação será de combate ao mosquito, e não apenas de orientação, e deverá incluir a aplicação de larvicidas e inseticidas.

Sobre o trabalho que está sendo realizado de forma paralela a conscientização e combate ao mosquito, o ministro da Integração explicou que estão sendo desenvolvidas vacinas, além de existir apoio às pessoas contaminadas e aos municípios com grande índice de infestação. Ele ainda conta que o Ministério da Saúde já encomendou mais de 10 toneladas de larvicida.

“Com relação à vacina, o ministro da Saúde tem trabalhado incessantemente junto com a presidenta Dilma. Estamos atuando em várias frentes e há até um encontro previsto para os próximos dias junto com uma equipe dos Estados Unidos. Já estamos praticamente na última fase da vacina contra a Dengue, que vai nos ajudar muito. A previsão de entrega é até o fim do ano”, explicou o ministro.

Enquanto ainda não existe disponível no mundo uma vacina para o vírus Zika, o combate aos focos do mosquito é a única forma de prevenção da doença, protegendo gestantes e crianças. Esse vírus tem sido associado ao aumento de casos de microcefalia em bebês quando as mães são infectadas durante a gestação.

Para as famílias que tenham mulheres grávidas contaminadas ou crianças detectadas com microcefalia, Gilberto Occhi informou que o Governo Federal dará apoio permanente. E para colaborar na prevenção de doenças, foram encomendados repelentes a serem entregues para mulheres grávidas que estejam inscritas no CadÚnico.

“Temos a Sala de Coordenação e Controle Nacional e, em Sergipe temos uma dentro do Governo do Estado, que tem contato permanente e diário para que possamos trocar experiências, atender demandas e também estabelecer controle das informações e distribuir as melhores práticas que têm sido realizadas em todos os estados brasileiros. A Sala foi criada efetivamente para ser o interlocutor rápido e possamos entregar as demandas”, pontuou Occhi.

O ministro conta ainda que a previsão é que na próxima semana o Ministério da Educação esteja fazendo trabalho de sensibilização e informação a professores e alunos de toda rede estudantil brasileira. A ideia é também mobilizar órgãos federais para atuar na campanha. Ele explica que os municípios que precisarem de ajuda no combate podem solicitar apoio as Forças Armadas através da Sala de Coordenação e Controle em Brasília, via a sala de Sergipe.

“Para complementar as ações, a presidente Dilma já emitiu medida provisória determinando procedimentos para entrar em locais que estão fechados, abandonados e são do setor privado. E apesar de já termos todas as medidas possíveis, o trabalho de toda população é fundamental para que a gente vença essa guerra”, finalizou.

Sergipe

Em Sergipe, o Governo do Estado vem realizando seguidos mutirões de combate ao mosquito Aedes aegypti. As ações são realizadas pelo Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec), vinculado à Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão, Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh), conjuntamente com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), que participa com a Brigada Itinerante. Neste sábado, a iniciativa se faz presente em Itabaiana, com 30 integrantes.

Representantes da sociedade civil, associações, estudantes, moradores e representantes de escolas e de grupos culturais também têm se juntado aos mutirões, formando uma força tarefa contra o mosquito.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, José Sobral, o Estado conta com brigada estadual, que dá apoio aos municípios, carros fumacê, pulverizadores costais, larvicidas e agentes em campo trabalhando na capital e em várias regiões do estado de Sergipe.

“Para quem apresenta as doenças, temos estoque suficiente de soro se houver epidemia, além de medicação paliativa de estabilização. Nos locais onde há ocorrências, nós atendemos e as cidades que têm surto, levamos a brigada. Ainda fazemos movimentação para combater vetor e dar atendimento à população. Com relação às crianças com microcefalia, montamos um controle efetivo dessas mães e dos bebês, que recebem apoio da universidade federal. As seis regiões do estado são atendidas pelo Hospital Universitário e 67% dos bebês já passaram pela triagem e receberam sua classificação. Além disso, a Grande Aracaju colocou a central de regulação para que essas crianças tenham prioridade no atendimento, e o Governo Federal já estabeleceu, inclusive, auxílio financeiro”, esclareceu.

Para combater o mosquito, o Governo do Estado também criou o Comitê Gestor de Avaliação, formado por três grupos de trabalho (do Vetor; da Vigilância e da Atenção Básica), responsáveis pelas ações preventivas de combate ao vetor; pelas ações de orientação, capacitação, monitoramento e avaliação e informes epidemiológicos; e pela montagem dos fluxos e referências da assistência.

Com relação à Brigada Itinerante, essa é composta por agentes de endemias, supervisores, técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos e outros profissionais, também é integrada por militares do Exército Brasileiro, e atua em todos os municípios do estado, identificando focos e locais de risco, adotando medidas de combate ao vetor e identificando, acolhendo e referenciando os pacientes atingidos pelas epidemias.

Em Sergipe, já foram notificados 180 casos de microcefalia em 46 municípios. Foram 158 em 2015 e 22 em 2016. Aracaju registra 45 ocorrências, seguida por Nossa Senhora do Socorro, com 18, e Itabaiana com 13 casos.

Zika

Até 05 de fevereiro de 2016, foram coletadas e enviadas para o Laboratório de Referência Nacional, 682 amostras de casos suspeitos de Febre Zika. Até o momento, há resultado de 124, nas quais não foi detectado o Zika vírus, e as demais ainda aguardam resultados. 191 amostras foram coletadas em Aracaju, 76 em Canindé e 42 em Nossa Senhora das Dores.

Chikungunya

No final de 2013, foi registrada a transmissão autóctone da Febre Chikungunya em vários países do Caribe, e, em 2014, foram confirmados casos autóctones no Brasil e em vários países do continente americano. Nesse mesmo ano em Sergipe, foram colhidas 68 amostras de casos suspeitos da doença e encaminhadas para o Laboratório de Referência Nacional, sendo apenas uma amostra reagente no mês de outubro, tratando-se de caso importado de Feira de Santana (Bahia).

Em julho de 2015, foi identificada a primeira amostra reagente autóctone, em Aracaju. Desde então, já foram confirmados laboratorialmente 194 casos em 30 municípios. Aracaju (31), Nossa Senhora das Dores (23) e Laranjeiras (19) concentram o maior número de ocorrências.

Dengue

Em 2016, até agora, foram notificados 468 casos de Dengue, com taxa de incidência de 20,87/100.000hab. O município que apresentou mais casos foi Itabaianinha com 143 ocorrências e incidência de 345,38/100.00 habitantes.

Presenças

Estiveram presentes na solenidade os secretários de Estado da Educação, Jorge Carvalho, e Agricultura, Esmeraldo Leal; presidente do ITPS, Leo Araújo; prefeitos de Aracaju, João Alves Filho, Itaporanga, Maria das Graças Garcez, e da Barra dos Coqueiros, Airton Martins; Vereador de Aracaju, Dr. Gonzaga; secretário municipal da Saúde, Luciano Paz; chefe da 19ª Circunscrição Militar, coronel Francisco Gladson Sales Alves; comandante geral da PM, coronel Maurício Iunes; capitão dos Portos de Sergipe, João Batista Barbosa; comandante do Destacamento do Controle Aéreo e Espaço Aéreo de Aracaju, Carlos Alberto Feller; comandante do 28º Batalhão de Caçadores, coronel Marco Aurélio Küster; coordenador estadual da Defesa Civil, Erivaldo Mendes; superintendente do Hospital Universitário, Ângela Silva, representando o reitor da UFS; representante da Funasa, Marta Feitoza; assessora do Governo do Estado em Brasília, Conceição Vieira; superintendentes executivos da Saúde, Marcelo Rezende, e da Seinfra, Ubirajara Barreto.

<-Voltar